Garanhuns, 14 de julho de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

13 partidos de oposição se unem contra Luiz

Depois de dois encontros que foram considerados produtivos, partidos que fazem oposição ao governo de Luiz Carlos de Oliveira (sem partido) se preparam para a terceira rodada de conversações. A reunião está agendada para o próximo dia 17, na Câmara Municipal, e desta vez deve contar com o representante de um partido que esteve ausente nas conversas anteriores. A novidade será a presença de Paulo Camelo, do PSTU, que disputou a prefeitura de Garanhuns na eleição passada.

Além do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados, devem estar no encontro o PSB, o PDT, o PV, o PR, o PRB, o PSDC, o PPS, o PMDB, o PC do B, o PP, o DEM e ainda uma parte do PT que não concorda com a reaproximação de Méviton Araújo do prefeito Luiz Carlos, através do deputado estadual Izaías Régis (PTB).

Dentre os políticos que têm participado desses encontros e devem estar novamente no próximo, estão os empresários Adolfo Lopes (PV), Ivan Júnior (PMDB) e Álvaro Fernandes (PSDC); José Gundes e José Carlos Espinhara (PV), Alcindo Menezes e Audálio Ramos (PSB), Margarida Cardoso (PDT), Eraldo Ferreira (PT), Gedécio Barros (PR), Alexandre Guilherme (DEM), Tony Neto (PRB) José Hilton Paixão (PMDB) e Sivaldo Albino (PPS). Os ex-prefeitos Ivo Amaral (PMDB) e Silvino Andrade (PSDB), acompanham toda a movimentação das oposições e têm grandes chances de acompanhar a chapa que for formada para enfrentar Luiz Carlos.

RESISTÊNCIAS - O nome de Silvino enfrenta resistência de uma ou outra pessoa dos 13 partidos oposicionistas, mas pessoas que já trabalharam com o ex-prefeito, como Tony Neto e o vereador Sivaldo Albino defendem que o líder tucano faça parte da frente. "Dr. Silvino é uma pessoa importante nesse processo, desde que oposição pense mesmo em ganhar a eleição", afirma Sivaldo.

O vereador e ex-presidente da Câmara, que se transformou numa voz isolada da Oposição no Legislativo Municipal tem sido um dos críticos no município à gestão de Luiz Carlos. "Os rádios ficam o tempo todo repetindo obras que foram feitas num lugar ou outro. Mas você vai na Cohab II, na Cohab I, no João da Mata, na Brasília, na Vila do Quartel e em muitas outras áreas e vê muito pouco. Existem muitos lugares mesmo em que a prefeitura não fez nada em três anos e meio de administração", alfineta Sivaldo Albino.

A movimentação desses partidos de oposição têm preocupado o prefeito Luiz Carlos, tanto que algumas pessoas dessas legendas têm sido procuradas por emissários do Governo Municipal. O próprio Tony Neto, que é candidato a vereador pelo PRB, foi chamado de volta as hostes governistas depois de ter sido demitido por questões políticas (por ser ligado a Silvino).