Garanhuns, 14 de julho de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

NOSSA HOMENAGEM

O CORREIO SETE COLINAS sabe que para falar da obra de Humberto de Moraes precisaria se fazer um enorme levantamento com pesquisas para se poder dimensionar o tamanho da sua grandeza. Fizemos conotações apenas, para dar condições aos nossos leitores de identificar o perfil do nosso homenageado. Um homem que pluralizou a vida; que deixou se envolver pelo feitiço das nossas colinas de linhas sinuosas e encantadoras; que construiu no seu quintal bebedouros para os pássaros, calangos e gatos matarem a sua sede no tempo do verão brabo; que partilhava sua mesa com os mais necessitados; que fez história; que dava com a mão direita contanto que a esquerda não visse; que não cobrava nada para servir a quem o buscasse. Esse homem vai ficar vivo por muito tempo nos quatro cantos da cidade. Em cada esquina, em cada praça, em cada bairro, em cada lugar, nossos olhos vão encontrar a figura madrigal e afável de um paradigma da honestidade, da solidariedade, da renúncia e do amor ao próximo.

Juntamos ao nosso sentimento de respeito e reconhecimento ao grande companheiro que partiu pra o andar de cima, essa trova que sela a nossa postura quanto à saudade que sentimos dele.