Garanhuns, 30 de junho de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Paulo Camelo reaparece e rejeita Zé da Luz

Candidato a prefeito de Garanhuns em 2004, pelo PSTU, o engenheiro Paulo Camelo, que continua no mesmo partido, resolveu voltar a atuar com mais vigor, na política local, utilizando as rádios, como a Marano e a Sete Colinas, para se pronunciar sobre o atual momento político. A principal motivação do socialista foi o anúncio da pré-candidatura de Zé da Luz à sucessão municipal, um dos assuntos de destaque da última edição do Correio. "O ex-vereador Marlos Duarte foi infeliz ao lançar o seu nome e o prefeito de Caetés foi deselegante ao confirmar seu interesse", bombardeou Paulo Camelo, ao comentar o fato.

Na avaliação do representante do PSTU, importar o prefeito de um município pequeno como Caetés, para administrar Garanhuns, é transformar a nossa cidade em "terra arrasada", sem donos, sem políticos que possam levar à frente um projeto político consequente. "É muita ousadia da parte dele", disse, se referindo a Zé da Luz, defendendo o ponto de vista de que temos várias pessoas com capacidade de governar o município.

"Em 2004 fui candidato e fui o único que apresentou um projeto de governo para o município com propostas inovadoras. Mas não tem apenas Paulo Camelo, outros políticos que vivem o dia-a-dia de Garanhuns podem ser candidatos e mais na frente fazer um bom trabalho", argumentou Paulo Camelo, rejeitando o nome do prefeito de Caetés.

FRENTE - O engenheiro esclareceu que o PSTU a princípio só faz alianças com o P-SOL e o PCB, mas admitiu que pode vir a conversar com outros partidos que fazem oposição ao governo de Luiz Carlos de Oliveira. Segundo ele a atual administração ainda não disse a que veio e por isso lançou a idéia da duplicação da BR-423. "A prioridade de Garanhuns é água, é emprego e não essa rodovia", alfinetou.

Paulo Camelo acha que falta sobretudo planejamento no atual governo municipal, mas culpa vários prefeitos por atos que segundo ele roubaram a auto-estima do povo de Garanhuns. "Bartolomeu derrubou o Castelinho, Silvino destruiu os silos da Cagep e esse Luiz Carlos vai pelo mesmo caminho dos seus antecessores", sintetizou o socialista.