Garanhuns, 30 de junho de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

O homenageado Luiz de Exu para o mundo

O sanfoneiro, cantor e compositor Luiz Gonzaga será homenageado logo na abertura do Festival de Inverno. Será logo na quinta-feira, dia 19, quando participam da festa artistas como Elba Ramalho, Jorge de Altinho, Nando Cordel, Maciel Melo, Terezinha do Acordeon, Azulão, Cristina Amaral, Nádia Maia ae Trio Nordestino. Um time para vencer qualquer seleção mexicana que venha pela frente.

Gonzaga nasceu no município sertanejo em 1912, filho de Januário José dos Santos e Ana Batista de Jesus. Foi o segundo de uma família de oito irmãos. E vários deles tiveram a veia musical, inclusive o patriarca da casa, celebrado num dos sucessos do filho, em que ele dizia: "Luiz respeita Januário...."

Luiz Gonzaga, depois apelidado de Gonzagão, começou ainda na década de 50, começou a se tornar conhecido nos anos 60 e se credenciou de vez quando foi descoberto pela turma do tropicalismo, à frente Caetano Veloso e Gilberto Gil.

Junto com parceiros como Zé Dantas e Humberto Texeira o artista criou inúmeros sucessos, que ainda hoje, são cantados de Norte a Sul do País, tanto na sua voz, quanto na de admiradores como Fagner, Zé Ramalho, Elba Ramalho, o garanhuense Dominguinhos, escolhido pelo próprio Gonzaga como seu sucessor.

Sucessos como Asa Branca, A Volta da Asa Branca, Assum Preto, Último Pau de Arara, Sabiá, Riacho do Navio, Vozes da Seca, Ovo de Codorna jamais serão esquecidas pelos que amam a música popular e nordestina. Também não pode deixar de ser citada A Triste Partida, de autoria do poeta cearense Patativa de Assaré, com os versos mais tocantes da nossa MPB.