Garanhuns, 16 de junho de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

O FLATO DA VACA

Pedro Jorge Valença


O mundo tem convivido com notícias de ameaças constantes: A fabricação da bomba atômica pelo Irã e Coréia do Norte, os ataques de aviões suicidas, os homens bombas da Palestina e outras menos tétricas, mas todas localizadas no hemisfério Norte.
Na parte Sul, apenas os falatórios, sem ecos, do Presidente da Venezuela, que teimam em brigar com os Estados Unidos das Américas, que pouco tem ligado, esperando apenas pela queda do regime de Cuba, para criar uma nova ameaça e manter ativa sua industria de armamentos.
Os dicionários definem a "ameaça", como uma promessa de algo temível ou desagradável.

Nada disso chegará no Agreste Meridional, no máximo a Gripe do Frango, que ameaça a criação das galinhas de capoeira, que provocara o desaparecimento da nossa cabidela.

O aquecimento global, atualmente, é a nova ameaça para o planeta, já que a poluição das nossas industrias e a fumaça expelida pelos veículos, tem criado camadas de gases de estufa, aumentando a temperatura e o desgelo nos pólos. Que tem de ser combatido com o plantio de vegetais, que absorvem o dióxido de carbono (CO2) e liberam o oxigênio.Como o mundo industrializado não dispõe de áreas e foi criado o Protocolo de Kyoto, onde o reflorestamento é feito nos Paises em desenvolvimento, recebendo recursos dos que mais poluem, havendo teoricamente uma compensação. A euforia chegou no semi-árido, quando um cientista americano, revelou que a Palma Forrageira era o vegetal que mais absorvia CO2, captando quatro vezes mais que as gramíneas (Milho e Cana de Acurar) e oito vezes mais que as florestas e leguminosas (Soja e Feijão). Como alegria de pobre dura pouco, já estão falando que os ruminantes, principais consumidores da Palma Forrageira, liberam o CO2, afirmativa ridícula, quando é feita a comparação os dois volumes.
As solicitações feitas para se incentivar o plantio da Palma Forrageira, esbarraram nas gavetas dos tecnocratas, que esquecem que a Cana de Açúcar também é alimento para os bovinos e não foi considerada a liberação do CO2, a novidade é o incentivo para fabricação do Álcool como combustível.