Garanhuns, 2 de junho de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

USANDO O LEITE CONTRA A VIOLÊNCIA

Pedro Jorge Valença


O Agreste Meridional não poderia ser exceção e infelizmente estamos assistindo a uma onda de violências que tem atingido a todas as classes, principalmente com a participação de uma juventude, muitas vezes desempregada e desiludida que parte para o consumo de drogas. A falta de oportunidade de empregos é uma realidade, notadamente no entorno de Garanhuns que nos últimos tempos, tem sofrido uma grande crise econômica financeira.

Em contrapartida o novo Governo, demonstra preocupação para recuperar a produção do leite, que precisa crescer, pois é a principal responsável pela formação da economia da Região, que esta travada pelo uso de um manejo deficiente, onde se destacam : a falta de higiene na ordenha, alimentação fornecida sem critério, o não cumprimento de horários, a baixa sanidade do rebanho, a mortalidade exagerada dos animais jovens, o grande intervalo entre os partos, a ordenha deficiente e a contenção errada das matrizes, resumindo:

Manejo inadequado, por falta de uma mão de obra qualificada.

No passado, os filhos dos tratadores se orgulhavam da profissão dos seus pais, que ainda hoje se destaca,pois proporciona um salário de mais de 30%, quando comparado com outros trabalhadores rurais. Assim a oferta era suprida por uma mão de obra jovem.

Hoje os rapazes da zona rurais só têm duas aspirações: ser motorista ou vigilante. E as moças lutam para ser professora ou comerciaria. Alem da procura de novo "status", os jovens no intimo pensam em sair da zona rural, sem saber que esse caminho é o do desemprego e da marginalidade nas grandes Cidades.

O Governo, está preocupado na recuperação da Bacia Leiteira e contando também com a Universidade Federal Rural de Pernambuco, através da Clinica de Bovinos que dispõem de um corpo de Veterinários, experientes e dedicados, sendo referencia para todo o Brasil.

Assim as Prefeituras localizadas próximas de Garanhuns, devem procurar a nova Secretaria da Agricultura, através da CEASA, empresa que está encabeçando a nova etapa do Programa Leite de Pernambuco - Fome Zero, que certamente se encarregaria de agrupa-las, para que celebrassem um Convenio, visando o aperfeiçoamento de uma mão de obra que atenda a Pecuária Leiteira. A idéia é ensinar de maneira simples mas objetiva aos alunos da Zona Rural, com idade superior a quinze anos, a pratica correta no manejo do gado leiteiro. Outro segmento que seria atendido, é o dos tratadores existentes, que seriam estimulados para melhorar o seu grau de instrução, freqüentando escolas para adultos nos Município e em "aulas de campo", aperfeiçoar o manejo, eliminando alguns vícios da profissão.

As aulas seriam ministradas na Clínica de Bovinos, com os alunos conduzidos pelos ônibus pertencentes às Prefeituras que também ficariam encarregadas de transportar os Veterinários para ministrar as aulas dos tratadores profissionais.
Uma sugestão para o currículo do curso:

Contenção correta dos animais, higiene na ordenha, conservação e transporte do leite, intervalos entre ordenha, alimentação dos bezerros, preparo e distribuição dos concentrados e volumosos, tratamento dos umbigos e descorna dos bezerros, ajuda nos partos, aplicação de injeções e vacinas, identificar forrageiras, inclusive as nativas, adubação química e orgânica correta, vegetais tóxicos,silagens e fenação correta.
Finalizando: Previsão contra acidentes, uso correto de ferramentas e higiene pessoal.

Vamos ajudar ao Governador Eduardo Campos a recuperar nossa Pecuária Leiteira.