Garanhuns, 19 de maio de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

O SESC DE TRIUNFO E O TURISMO

Professora Glorinha Luna


Turismo, arte beneficente, avanço social, enriquece a conduta do ser humano em toda a sua trajetória.

Assim, o SESC de Garanhuns realizou excursão à cidade de Triunfo no final de abril passado. Aclimatados aos seus serviços eficientes, enveredamos pelas vias de acesso.

O Serviço Social vem desenvolvendo suas metas e projetos através do recreio, da instrução e do culturalismo. Ora com nova administração, nas mãos da educadora Cleonice Vaz Santos, competente que, com seriedade mostrará mais uma vez a nossa sociedade o seu valor profissional.

Neste Brasil, bem brasileirinho, nós, turistas, saímos pela Empresa Transtil, curtindo as belezas naturais e a inteligência dos seus filhos. Numa perfeita sintonia, sob orientação da jovem Graça Barros, formamos uma sociedade remanescente a cada excursão do Centro Comercial. Creditada pela capacidade humana, ela leva-nos a erguer nossa pirâmide ao seu reconhecimento.

Eis que o trânsito chegou ao fim e a cidade centenária descortinou-se com seu clima de montanha (1.200 metros de altitude) onde impera o ponto mais alto de Pernambuco: o Pico do Papagaio.

Acomodados nas perfeitas instalações do SESC Triunfo, começamos a curtir o companheirismo de outros turistas. Estávamos conhecendo então a cidade do alto sertão, onde Lampião e os holandeses ousaram seus esconderijos. Panoramicamente do SESC e até aproximadamente vimos em cada monumento sua história, em cada beleza natural um traço de Deus. É assim o oásis do Sertão do Pajeú. Clima agradável, de potencial turístico, de rico patrimônio histórico cultural. Neste município, identifica-se a fusão das raças portuguesa, italiana e alemã, além dos índios Orocó (negros com índios). Possui 180 mil habitantes, a maioria do sexo feminino, numa área de 182.200 km quadrados. Destaca-se a agricultura da cana-de-açúcar, cujos produtos são exportados para a Alemanha, oriundos do Engenho São Pedro a 600 metros de via asfaltada.

A cidade encanta pela arquitetura neo clássica (estilo europeu). A imagem da Igreja de Nossa Senhora das Dores (padroeira), vinda da Itália através do frade Frei de Frescarote, iniciando a catequese. Detalhe curioso é que a imagem possui vestimentas, tem um guarda roupa específico que é mudado temporariamente. O Cine Teatro Guarani, patrimônio mais bonito da cidade, adquirido pela Fundarpe à Província Franciscana, foi entregue à população pelo então governador Jarbas Vasconcelos em 2002, depois de restaurado.

Visitamos o Museu do Cangaço. Saibam os devotos que Lampião nunca invadiu Triunfo por ser devoto da Santa Padroeira.

Quão admirável o Lago João Barboa, no centro, onde os banhistas se divertem no período do Carnaval.

Mas que espetáculo o percurso do teleférico! A bordo partíamos do Sesc, no alto, atravessando a serraria para chegar ao centro da cidade, passando pelo lago. No espaço aéreo, advertimos do harmonioso colorido pela encenação à vista onde tudo fala de Deus, no seu poder mágico.

Triunfo, sim! Adocicada pelo melaço dos seus engenhos a receber turistas. Nos casarios e nas obras seculares estão a Escola Stella Maris, hoje Centro Educativo (recursos da Alemanha), o Convento São Boa Ventura, Casa das Almas (esconderijo de Lampião), Furna dos Holandeses (em pedra), Cacimba de João Neco (1932) seguida de um túnel em linha reta, o Lar Santa Elisabeth, mantido pela Sociedade Franciscana Maristella do Brasil desde 1966, com ajuda da Alemanha e da Prefeitura Municipal. Atende a 450 crianças e adolescentes de ambos os sexos. Atua também na área de hotelaria e outros.

Nessa menção ao turismo que nos foi proporcionado pelo SESC, queremos ressaltar a grandeza de alguns jovens: o nosso guia André Gonçalves, que mostrou-se eficiente na sua profissão. E ainda a surpresa de um jovem garanhuense conduzindo o teatro do Sesc Triunfo. Coisa impressionante! Parabéns!

Voltamos à nossa cidade, também turística. Aos governantes, queremos advertir que Garanhuns é bem rica e precisa ser adornada e explorada cada vez mais.

Aos triunfenses, nosso abraço pelo acolhimento, partindo do nosso pouso serrano o SESC! Gigante arquitetônico que notabiliza a bela cidade sertaneja.