Garanhuns, 19 de maio de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
GERAL
 

Caixa Econômica tenta destravar programa de casas no Magano

A Caixa Econômica Federal passou a semana tentando acelerar o Programa de Arrendamento Residencial, PAR, implantado em Garanhuns no bairro do Magano. Os gerentes e funcionários da instituição financeira atenderam na agência local os interessados em comprar sua casa própria e até foram as emissoras de rádio da cidade divulgar as vantagens do projeto.

O PAR foi anunciado em Garanhuns ainda no Governo de Silvino Andrade e parecia uma ótima oportunidade de compra da casa própria por pessoas de baixa renda. Os imóveis foram construídos no bairro do Magano, nas proximidades da Igreja Santa Terezinha e estão prontos há mais de um ano. No entanto ainda não foram ocupados porque muitos que se inscreveram no programa parecem ter desistido dele.

A Caixa Econômica viabilizou a construção de 240 unidades habitacionais na cidade, num condomínio fechado dotado de calçamento e saneamento, localizado a apenas cinco minutos do centro. As casas têm dois quartos, sala, cozinha e banheiro, sendo construídas num terreno de 49 metros quadrados. A prestação inicial de R$ 215,00 pode estar afastando um pouco os interessados, principalmente depois da construção das casas do governo na Bela Vista. É bom lembrar que esta últimas vão sair de graça para a população carente.

Uma das gerentes da agência da Caixa em Garanhuns, Neide Brandão, disse que até o início da semana 120 das casas do Magano já estavam comercializadas. Segundo ela, as outras restantes podem ser vendidas logo, devido as vantagens que o condomínio oferece. Os interessados na compra do imóvel da CEF devem ganhar de três a cinco salários mínimos e devem comprar renda através de contra-cheque ou carnê de financeira, como a Losango, por exemplo.

O gerente regional da Caixa Econômica, Melquizedeque Leite, considera a unidade habitacional do Magano uma boa oportunidade para quem sonha com a casa própria. Como vantagens ele cita a proximidade do centro da cidade e a infra-estrutura do condomínio, que já tem saneamento e calçamento, ao contrário de muitas outras áreas da cidade.

Os agentes do banco estatal informaram ainda que no caso de policiais militares ou civis a renda do interessado na casa pode ser de até oito salários-mínimos. A Caixa Econômica pretende entregar as unidades habitacionais construídas no Magano a partir do próximo mês de junho.