Garanhuns, 5 de maio de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Ex-secretário contesta proposta de duplicação

Ex-secretário de Turismo do município, na gestão de Silvino Andrade e de Desenvolvimento Econômico - no início da atual administração - o empresário Ivan Júnior acredita que a proposta de duplicação da BR-423, defendida com ênfase pelo prefeito Luiz Carlos, tem o objetivo de desviar a atenção da população local para os problemas da cidade. "A duplicação é importante, mas não deve ser colocada como uma prioridade para a região do Agreste Meridional", argumentou Ivan.

Na sua avaliação Garanhuns tem sérios problemas para resolver nas áreas de educação, saúde e infraestrutura e não se pode achar que a duplicação da BR irá solucionar as principais questões que afetam os moradores locais. "De que adianta duplicar a BR se falta merenda nas escolas?", questionou o ex-secretário do município.

Ivan Júnior defendeu uma análise do custo-benefício da obra, levando em conta não somente a realidade de Garanhuns, mas também a de cidades como Cachoeirinha, Lajedo e Jupi. "O município de Jupi tem sérios problemas na área médica e quando precisa de atendimento manda seus doentes para Garanhuns. A duplicação da BR, neste caso, serviria pra quê?", volta a alfinetar o empresário.

OPOSIÇÃO - Aliado de Luiz Carlos na eleição de 2004, Ivan Gomes Jr. teve uma passagem muito curta pela atual administração. Ele foi dos primeiros a romper com o prefeito, seguido depois por outros nomes que tiveram uma participação ativa no pleito de três anos atrás, como Ivo Amaral, Sivaldo Albino e Silvino Andrade. O ex-secretário de Turismo continua no PMDB e se declara abertamente na Oposição ao Governo Municipal.

Numa entrevista recente, no Jornal da Sete Segunda Edição, na FM Sete Colinas, além de polemizar em relação à duplicação da rodovia que liga São Caetano a Garanhuns, Ivan Jr. fez outras críticas com relação à administração de Luiz Carlos de Oliveira, principalmente em relação às várias mudanças que aconteceram no secretariado.

"Em pouco mais de três anos foram 12 ou 13 mudanças. Tem secretaria que já mudou três vezes de titular", criticou o empresário, citando como exemplo as pastas de Administração, Turismo e Agricultura, que segundo ele que já sofreram mais de uma mudança.

Com relação a aliança do prefeito com o deputado estadual Izaías Régis, o ex-secretário também foi crítico. "A união se deu não em torno de projetos de interesses da cidade e sim por conta de apetites pessoais. O deputado ganhou cargos na prefeitura e o chefe do Executivo conseguiu espaço junto ao Governo do Estado, através do parlamentar", raciocinou Ivan Júnior.