Garanhuns, 21 de abril de 2007
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

RECOMENDAÇÕES SOBRE A SOGRA

Marcilio Reinaux


Na transitoriedade da vida, todos nós vamos ganhando espaços do nosso mundo. Na medida em que os dias se sucedem, o peso dos anos se acumula sobre nossos ombros e há mais momentos reflexivos. As ações e as atividades vão ficando rarefeitas. A memória as vezes fraqueja, porém em contrapartida tênis mais tempo para pensar e até exercitar a criatividade, essa fantástica oportunidade que nos leva a uma espécie de reciclagem motivacional para a vida. Assim nesse contexto vamos ampliando as nossas experiências cujo somatório é enriquecedor.

Nessa linha de pensamento as experiências há um segmento sumamente importante que toca a vida de todas as pessoas. É aquele do relacionamento de cada um com sua sogra (e seu sogro também). Há muitas anedotas sobre sogra, algumas picantes, irreverentes, que demonstram total mau-gosto com essa criatura excepcional e maravilhosa (algumas) que é a sogra. Por isso há que termos muito cuidado no relacionamento que temos com os filhos casados e com os netos, quando o prisma da sogra está entre nós e eles. Aliais em se tratndo de filhos casa, qualquer que seja a situação, a sogra (e o sogro) ou estão interferindo, ou estão por perto, no mínimo dando" na minha opinião". Com uma experiência de meio século de convivência com os pais da minha mulher, tendo portanto de forma bem presente uma longa experiência, aventou-me traçar algumas recomendações à quem os tem, na forma que segue, a título única e exclusivamente de "conselhos".

1.- Não dê palpites na vida de seus filhos. Um conselho cai bem . Genros e noras, nem pensar os palpites. Opinião ? espere que eles lhe consultem. E se não consultarem nunca, não fique triste. Eles são ensimesmados.

2.- Visite eles (genros e noras) apenas nas festas especiais, ou quando seus filhos convidarem. Sogra boa é aquele que quando visita filhos, o cachorro estranha.

3.- Evite falar a eles sobre "coisas do passado". Para a maioria de jovens, o que passou, passou. Historias do seu passado, conte-as para os netos. Certamente eles ouvirão.

4.- Se não tiver um computador, adquira um,( se possível melhor do que o deles) faça um curso de computação. Converse com eles a linguagem de computação. Troque idéias, cite nomes estrambóticos, como site, email, log,blog, sistemas, realidade virtual, . Indique à eles que você sabe que "vírus" não é só de transmissor de doenças, mas um "!troço" que dá no computador e acaba com tudo. Um lembrete: hoje existem dois tipos de analfabetismo: o tradicional bê-a~bá e o da computação.

5.- Se sua casa parece um campo de batalha, depois que os amiguinhos dos seus mnetops se forem, não se irrite. Logo logo esse tempo vai passar e esse convívio vai se perder.

6.- Quando seus genros ou noras, ou filho lhe convidarem para qualquer passeio, aceite imediatamente. Não se esqueça de que em um futuro bem próximo, nem que você queira, não vai ser possível.

7.- Se possível mantenha suas atividades. Preferencialmente não preencha um formulário com a palavra "aposentado".

8.- Se puder não depender dos filhos, tanto melhor. Incomodar genros e noras ( ou filhos ) para ser seu motorista é terrível. Se você não puder dirigir, melhor chamar um táxi. Todos saem ganhando: você, porque vai aonde quer e a hora que quer, eles porque têm mais tempo para eles mesmos e inclusive o dono do táxi, vai agradecer dizendo: estou sempre às ordens..

9.- Atualize-se. Leia pelo menos um documentário por dia ou uma revista por semana, ou noticiário das televisões. Você, sogra ou sogro, informado, não vai ficar com cara de "abestado" quando eles comentarem as novidades do mundo. E você: perguntando: e foi?, é mesmo ?

10.- Tenha sua turma. Gente da sua faixa etária. Não precisa ser aquele esquema: da "Terceira idade" , " Melhor Idade" e outras "bestidades" inventada hoje na vida moderna. Rever, conversar com amigos da juventude, é salutar. É exercício memorialista, é saudosismo sim, um tanto telúrico também. Mas é muito salutar.

11.- Dê aulas de alguma coisa, daquilo que você sabe fazer, tais como: bordar,costurar, tricô, "ponto-de-cruz", crochê, frivolité. Ou pintura, escultura, artesanatos. E mais: ensine a fazer pasteis, docinhos, bolos, enfeites de festas...

12 Participe de movimentos filantrópicos, vá ao teatro, cinema, museus, passeio pelo Zoo Botânico.Seu mundo ou invés de diminuir, vai se ampliando.

13.- Não fique "pendurada" no telefone, querendo "teleguiar" seus filhos, noras, genros e netos. Há um pouco de felicidade incontida, quando um filho ou filha diz:: "mamãe você sumiu... andei ligando para você em toda parte e não lhe encontrei!..."

14.- Mande uma vez na vida, um fax ou um bilhetinho com palavras carinhosas para um genro ou uma nora. Eles vão ter a certeza de que mesmo sem vê-los, você os estima e os quer bem.

15.- Recomendação final. Lembre-se que a sua sogra e seu sogro, são pessoas especiais para você. Eles são só seus. Eles com certeza lhe querem muito bem. Tanto assim, que em um passado não muito distante "deram" filha ou filho para casar com você.

Vamos ficando por aqui. Quem quiser, acrescente a esta lista, outras "recomendações" para sogras e sogros. E se for possível mande-me os acréscimos para o meu email ( reinauxcerimonia@uol.com.br) . Ficarei agradecido.


Marcilio Reinaux, é jornalista colaborador do "Correio Sete Colinas"