Garanhuns, 15 de outubro de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

TRAGÉDIA E SOLIDARIEDADE

Odete Melo de Souza


"O homem conscientemente livre não se propõe a dominar outro homem".

Estas palavras estendem-se também às nações e de modo bem especial aos Estados Unidos.

Mesmo considerando-se o mais poderoso país e um pseudopacificador, apesar de deflagrarem desumanas guerras no Afeganistão, Vietnã, Iraque, vêm sofrendo penosos e justos reveses.

O inesquecível terrorismo de 11 de setembro de 2001 e ultimamente o devastador furacão KATRINA cuja lentidão no resgate e assistência às vítimas-negros, pobres, desprestigiados foi discriminatória, levaram Bush a sentir o declínio de sua popularidade.

O furacão KATRINA atingiu impiedosamente cidades de quatro estados americanos, sendo Nova Orleans a mais prejudicada com destruição total e milhares de vítimas.

E continua enfrentando os perigos de infecção bacteriana, contaminação com decomposição de cadáveres, etc, etc.
Esta foi sem dúvida a maior calamidade natural na história dos Estados Unidos em todos os tempos.

O presidente Bush prometeu investigar e punir severamente os responsáveis pelas falhas na operação socorro a nova orleans.
Perguntemos se as cidades atingidas fossem Nova Iorque e Washington, qual seria o tratamento?

O mundo inteiro está voltado e solidário à Nova Orleans. Bush recebeu oferta do Kuwait, México e até do Afeganistão e Cuba seus ferrenhos inimigos.

O nosso sofrido Brasil, considerado mestre da logística humanitária também ofereceu seus préstimos.

De início, Bush rechaçou qualquer ajuda externa. Depois, desceu do pedestal do seu arrogante poderio e recorreu à União Européia e à Otan.

A afirmação de um destacado rabino de Israel de que o KATRINA foi um castigo de Deus para punir Bush é inaceitável. O que Bush sofreu pessoalmente até agora? E muitas das vítimas nunca fizeram mal a ninguém.

Os fenômenos naturais são regidos por leis divinas responsáveis pelo equilíbrio cósmico.

É verdade que muitas vezes a maligna interferência humana compromete o ritmo maravilhoso da Criação.

Os desígnios de Deus são insondáveis, justos e santos!...

O terrível KATRINA trouxe para todos uma lição de vida, levando-os a meditarem que a solidariedade é o mais nobre e eficaz sentimento humano e que não devemos aplicar aos Estados Unidos o antigo refrão: Quem com o ferro fere, com ele será ferido.

Antes, devemos exortá-los a conscientizarem-se de que a terra é patrimônio humano e que a "NOSSA VERDADEIRA NACIONALIDADE É A HUMANIDADE".

De qualquer maneira, queremos deixar aqui um alerta para prepotentes e submissos:

TODO QUE SE EXALTA SERÁ HUMILHADO E QUEM SE HUMILHA SERÁ EXALTADO.


Odete Melo de Souza é Educadora e Cronista, garanhuense residente em Caruaru-PE.