Garanhuns, 1º de outubro de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
GERAL
 

LAFEPE

Depois de 14 meses de estudos e testes, o Laboratório Farmacêutico de Pernambuco lançou no mercado mais um medicamento: o antiinflamatório Diclofenaco de Potássio. O produto, com ação analgésica e aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, vem reforçar a já extensa lista de 70 medicamentos testados e aprovados que o Lafepe fabrica, beneficiando populações de baixa renda.

Com produção inicial de um milhão de comprimidos, o remédio, reforça o principal objetivo do laboratório: a fabricação de medicamentos para assistência das políticas públicas de saúde. De acordo com o diretor-técnico do Lafepe, Leduar Guedes, a produção do antiinflamatório se adequará às necessidades do mercado local e de outros Estados do País. O produto faz parte do Programa de Assistência Farmacêutica Básica, o que dá oportunidade de ser oferecido em toda rede pública de saúde.

O preço é outro atrativo do lançamento. A cartela, com dez comprimidos, será comercializada nas 32 farmácias do laboratório (16 na Região Metropolitana do Recife e 16 no Interior), ao preço de R$ 0,45.

O Lafepe tornou-se modelo de sucesso na política de desenvolvimento da indústria farmacêutica. Com capacidade de produzir 1,1 bilhão de unidades/ano, a instituição já é hoje o segundo maior laboratório público do país e trabalha com a meta de aumentar em 72% sua produção, até o final deste ano.