Garanhuns, 3 de setembro de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

COLUNA DE ULISSES

Ulisses Pinto


ESCRITOR - Faleceu no Hospital Sara Kubitshek de Fortaleza, no dia 25 de agosto, o brilhante escritor, poeta e agrônomo aposentado, Alberto Silva Rêgo, filho de Garanhuns, sendo sepultado onde morava, no dia seguinte. Era viúvo da Sra. Lígia Machado do Rêgo.

Por motivo de saúde, não poderia viver em cidades de clima frio. Morreu com a idade de 88 anos e por muitos anos, foi ex-aluno do Colégio Diocesano, antigo "ginásio". Era da loja Maçônica Mensageiros do bem.

O querido amigo, é autor dos livros "Os Aldeões de Garanhuns" e "A Vida Através da Poesia". Muita gente aqui tem a preciosa obra que retrata a nossa cidade nas 560 páginas, incluindo dezenas de fotografias.

Éramos amigos há longos anos. Católico e um homem que sempre combateu as injustiças e os humildes. Foi um baluarte em prol de Luiz Inácio Lula da Silva e sempre contrário ao presidente anterior, Fernando Henrique. Mas segundo a sua filha, Maria Cristina Machado Rêgo, o escritor desaparecido estava indignado não ao presidente Lula, mas com muitos dos seus auxiliares diretos. Esta informação foi da viúva Elamilve Ramos, cujo marido se chamava Efren Barros ou "Black" na intimidade. Este era filho do antigo morador desta cidade Elias de Barros, vereador do "velho" PSD de Amílcar Valença, seu amigo dos velhos tempos, conhecemos todos os seus familiares (evangélicos), que estudaram no Colégio Presbiteriano 15 de Novembro. Nessa época éramos da UDN.

O Black, gostava de brincar carnaval com uma vassourinha, insere enormes recordações. Recordação também de seu mano Eliezer de Barros, que esteve na guerra como sargento da FEB e participou da "tomada de Monte Castelo". O Eliezer, também garanhuense, merece uma rua, assim como esse escritor Alberto da Silva Rêgo, descendente de Simoa Gomes de Azevedo, fundador desta terra, conforme conta no seu livro onde tambérm escreveu assuntos dos nossos pais, irmãos, parentes e também deste colunista, inserindo uma carta nossa anunciando o próximo lançamento dos 'aldeões".

Descreve no livro famílias desta terra como os "Dourados", "Soutos", "Brancos", "Gueiros", "Ferreiras", "Barros", "Azevedos", "Jardins", "Valenças", capitaneados pelo ex-prefeito Amílcar Valença, "Herculanos", "Dantas", "Teixeiras", "Vilelas", "Pintos", "Neves" além de outras. Faz elogios a prefeitos de sua época, como José de Almeida Filho, Souto Filho, Euclides Dourado, Mário Lira, Amílcar Valença, Aluísio Souto Pinto, Luiz Souto Dourado, o qual foi escritor, jornalista, deputado e secretario de justiça no governo de Miguel Arraes.

No dia 27, falamos a respeito da vida de Alberto Rêgo, no Rádio Jornal que na sua inauguração, teve a presença do querido amigo.

A missa de 7º dia foi marcada para às 19:30, na Catedral de Garanhuns no dia 1º de setembro. Celebrante o padre Marcelo, denodado e sincero amigo, Vigário Geral da nossa Diocese que tem à frente o bispo Dom Irineu, muito lutador pelo progresso da nossa cidade e é claro, pelo clero também.

A sra. Elamilve Ramos, residente nesta cidade e este colunista, coordenaram a missa, notas na rádio Jornal e segundo informações ele, Alberto esteve da inauguração.

O genitor Dário Rêgo, foi dono de gráfica aquí e manteve por longas datas o "Diário de Garanhuns" e depois o "Garanhuns Diário". Neste colaboramos. Humberto de Moraes, essa figura heróica da imprensa, era também muito amigo de Alberto, que fez perto de mil poesias. Havia sempre um intercâmbio entre nós, através de cartas e a última foi no começo de agosto do ano em curso.

Deixou o seguintes filhos: Antônio Otávio Machado Rêgo, Alba Luci, Aloísio, Álvaro Eduardo, José Eurico, Alberto Filho e Maria Cristina, sendo que o penúltimo é solteiro. A maioria deles são formados. Irmãos do falecido: Albérico (Dinda), Hilda, Sílvia, Aécia, Dilma e Valda. O 1º é advogado no Recife e é nosso velho amigo o qual dirigiu o "Garanhuns Diário".


DIA DE CAXIAS - Sob o comando do Ten cel. Eudes Lima, olidense e torcedor do nosso Náutico (inclusive do diretor deste, Roberto Almeida), realizou-se pelas 16:30h do dia 25, dia do soldado, uma bonita solenidade, onde houve o juramento à bandeira dos recrutas (agora soldados) perante mais de 400 pessoas, desfile sob a batuta do maestro Demerval (tenente), leitura da "Ordem do Dia", do general Comandante do Exército, palavras do Comandante sobre o significado do Duque de Caxias, o patrono do Exército, entrega da Medalha do Pacificador ao admirável empresário Luciano Oliveira, entrega de comendas a oficiais, sargentos e um cabo, entre outros eventos, diante do busto do Duque de Caxias, canos do Hino Nacional e à Caxias.

Autoridades estiveram presentes (dezenas) e entre elas, o prefeito Luiz Carlos, seu vice dr. Almir Penaforte, presidente da Câmara Sivaldo Albino, o cel Mendonça, ex-Cmt do "Duarte Coelho", ex-prefeitos Ivo Amaral de Garanhuns e Elias Lopes Filho (São João), deputada Aurora Cristina Duarte e seu esposo, médico Silvino Duarte, também ex-chefe do executivo local.

Após a solenidade, ocorreu o já tradicional coquetel para os convidados.