Garanhuns, 30 de julho de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
ESPECIAL
 

Cai número de roubo de cargas

Mais um índice de violência cai em Pernambuco. O número de roubo de cargas nas rodovias estaduais e federais de Pernambuco, registrado no primeiro semestre deste ano, teve uma redução de 50%, em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com o delegado titular da Delegacia de Prevenção e Repressão ao Roubo de Cargas, César Urach, foram registradas 17 ocorrências policiais de roubos de cargas este ano. Enquanto que no ano passado foram 33. Em 2003, o número de ocorrências chegou a 38.

Para o delegado a redução do quantitativo de roubo de cargas é resultado do trabalho de inteligência e investigação da Polícia Civil. "Mudamos totalmente a rotina de trabalho dentro da delegacia especializada. Hoje, por exemplo, nós acompanhamos e fazemos a reconstituição junto aos motoristas vítimas de qualquer roubo de cargas dentro do Estado de Pernambuco. Com isso, conseguimos informações que ajudam na solução dos casos". No levantamento apresentado pela Secretaria de Defesa Social, cargas de bebidas aparecem como um dos novos alvos de interesse dos ladrões. "Estamos investigando muitos receptadores, porque eles representam o destino final de produtos e constituem um elo que pode levar aos autores dos roubos", explicou César Urach.

O secretário João Braga fez uma avaliação positiva dos números apresentados, mas ressaltou a necessidade de encontros regionais onde sejam discutidas ações conjuntas com as polícias de outros estados. "Ainda este mês, estaremos nos reunindo com outros estados do Nordeste, pois a maioria dos pontos críticos apresentados está fora de Pernambuco ou em áreas de divisa". A concentração de ocorrências, nos meses de junho e julho, foi na Zona da Mata Sul, principalmente na BR-101. As principais mercadorias roubadas foram bebidas, cosméticos, produtos de limpeza, entre outros.

Litros de leite de cabra para o Programa Leite de Pernambuco. Desse total, 200 são de produção própria e 200 dos pequenos produtores. Além do leite de cabra, a granja coloca nos supermercados derivados, como queijo e iogurte à base de cabra.

O secretário destacou ainda a intenção de propagar a importância do leite de cabra para populações de baixa renda no campo e crianças e idosos nos centros urbanos com problemas de intolerância ao leite de vaca. "As qualidades biológicas (alta digestibilidade, alcalinidade distinta e maior capacidade tamponante em relação ao leite de vaca) e terapêuticas (hipoalergenicidade) eram pouco divulgadas e a nossa intenção é expandi-las". Pernambuco possui atualmente o terceiro maior rebanho de caprinos e ovinos do Nordeste, ficando atrás da Bahia e do Piauí, com cerca de três milhões de animais de qualidade.
Leite de Pernambuco

Atualmente, conforme dados da Gerência de Agronegócios, o Programa do Leite beneficia 84.894 famílias de 622 associações comunitárias localizadas em 147 municípios da Região Metropolitana do Recife, Zona da Mata, Agreste e Sertão, inclusive aqueles de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).