Garanhuns, 16 de julho de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Pedro Passos tenta mudar PT de Garanhuns

Funcionário do Hemocentro local, candidato a vereador na eleição passada sem ter obtido sucesso, o petista Pedro Passos tem uma missão difícil pela frente. Ele é candidato a presidente da Comissão Executiva do Diretório Municipal do PT, enfrentando o atual dirigente da legenda, Méviton Araújo, que tem ao seu lado antigos companheiros da legenda, como Eraldo Ferreira, Ivaldo Bispo e a professora Carminha.

O único vereador eleito pelo Partido dos Trabalhadores na eleição passada, Marcelo Marçal, está mais inclinado a ficar com Méviton, uma vez que este e seu grupo representam a facção petista aliada do prefeito Luiz Carlos de Oliveira. O primeiro suplente da legenda, advogado José Ivan, também está inclinado a ficar com os atuais dirigentes petistas.

Já Pedro Passos, tem ao seu lado o bancário Genaldo Souza, ex-presidente do PT de Garanhuns, além de militantes como o professor Petrônio, Lucimar, Edjalma e outros filiados que não concordam com os rumos da agremiação no município. "O diretório do Partido dos Trabalhadores em nossa cidade representa o pensamento de Genoíno, Delúbio e dessa turma toda que provocaram essa crise no país. Então é hora de mudar também a nível local", prega Pedro.

A eleição dos novos integrantes do diretório do PT será realizada em setembro. Parlamentares estaduais do partido, como o deputado federal Fernando Ferro e o deputado estadual Roberto Leandro também estão envolvidos na disputa. O primeiro deve apoiar o grupo que está no poder, enquanto o segundo marcha ao lado dos oposicionistas.