Garanhuns, 16 de julho de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO SETE COLINAS

Roberto Almeida


VAIA

Os políticos estão mesmo em baixa. O vice-governador Mendonça Filho (PFL), apesar da discrição e da simpatia tomou uma sonora vaia no primeiro sábado do Festival de Inverno, dia da apresentação do cantor Djavan. Assim que a colunista e apresentadora Kitty Lopes registrou a presença de Mendoncinha nos camarotes a multidão protestou, deixando constrangidos os aliados do governo.


AS COMPANHIAS

Na sua passagem por Garanhuns, o vice-governador Mendonça Filho esteve acompanhado o tempo todo pelo ex-prefeito Ivo Amaral e pelo atual prefeito, Luiz Carlos. O diretor administrativo e financeiro do Lafepe, Silvino Andrade, ligado a Sérgio Guerra, não deu muita bola para o vice de Jarbas.


JORGE

Também foi notada a ausência do presidente do Diretório Municipal do PFL, Jorge Branco, na passagem de Mendonça Filho por Garanhuns. Jorginho, como é conhecido pelos amigos, foi o vice de Givaldo Calado na eleição de 2004.


COISA ESTRANHA

O radialista Marcos Cardoso informou no seu programa que a Banda Saia Rodada, do Rio Grande do Norte, foi um dos doadores da campanha política passada entrando com R$ 20 mil. Uma coisa muito estranha. Mas que talvez explique a inclusão do grupo num dos comícios da campanha, na festa de Santo Antônio, no FIG e na festa de final de ano.


A CUECA

Nos meios políticos circula a piadinha de que se pega essa moda de colocar dinheiro na cueca o Jorge Ramos, irmão do ex-vereador Audálio, tem futuro. Como ele é tamanho família na peça íntima dele caberiam pelo menos cinco milhões de dólares.


RAUL

Uma simpatia o secretário de Planejamento do Estado, Raul Henry. Ele esteve na região no período do FIG e fez questão de comer uma feijoada em Caetés, na casa de Edinaldo Puça. Na eleição passada Raul teve mais de mil votos na terra de Zé da Luz, tendo ido na cidade apenas uma vez.


DENÚNCIAS

O colunista tem recebido denúncias, via telefone, contra um Secretário de Saúde de um pequeno município de nossa região. Duas mulheres diferentes ligaram dizendo que o carro da repartição pública está sendo usado para fins particulares. Uma delas garante que o veículo já foi visto no restaurante Maria Bonita e no Motel Scallas.


CULTURA

Entrevistado na Sete Colinas, o deputado estadual Izaías Régis criticou a descaracterização do Festival de Inverno de Garanhuns. E citou o cantor Alexandre Pires, incluído no Circuito do Frio de Gravatá, como exemplo de artista que deveria ter sido chamado para participar do nosso FIG.


OFICINAS

Izaías também ofereceu o Centro de Artes Armando Monteiro para sediar a realização de oficinas do festival, propondo a retirada dos cursos de locais distantes como o Caic do Indiano e sítio Castainho.


GLÁUCIO

O cantor Gláucio Costa, que fez uma belíssima apresentação no 15º FIG, foi nitidamente atropelado pela banda Saia Rodada. Teve que reduzir seu show para pouco mais de 30 minutos, porque as estrelas do falso grupo de forró tinham compromisso em Belo Jardim. Gláucio, claro, não ficou muito satisfeito.


FESTA DAS MAROCAS

O pedido ou a ordem para que o palco da Guadalajara estivesse livre para Saia Rodada às 23h30 teria sido dada pelo vice-governador Mendonça Filho. Ele fazia questão da presença da banda na sua terra natal, na Festa das Marocas.


SAFADEZA

Os políticos e a direção da Fundarpe ficaram constrangidos com o discurso de Alceu Valença, feito em meio ao seu show, na segunda sexta-feira do FIG. Segundo o artista, existe muita safadeza na contratação dessas falsas bandas de forró, nos eventos promovidos de norte a sul do país. Como o artista expressou o que muita gente da imprensa local pensa, quem sabe nos próximo ano os organizadores do festival se tocam e deixam a subcultura para outro tipo de evento.


PESQUISA

A pesquisa da CNT/Sensus deixou muita gente da oposição maluca porque o prestígio de Lula continua em alta, apesar dos correios, do PT e do mensalão. Os pefelistas e tucanos não conseguem entender como o presidente continua blindado, depois de tantas denúncias nos jornais, rádios e emissoras de TV. Uma explicação é que muita gente, principalmente do povão, está vendo cheiro de armação em muita coisa e assim termina transformando Lula em vítima.