Garanhuns, 2 de julho de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Projeto do Hospital é redirecionado

Depois de formatado e com previsão de execução já para o segundo semestre deste ano, o projeto do Hospital Municipal de Garanhuns sofreu algumas alterações, visando se adequar a Norma Operacional de Assistência a Saúde (NOAS).

"A NOAS prevê que para o Município mudar de gestão teria que garantir o internamento, não necessariamente ter o serviço, mas garantir. Como tentamos garantir o serviço na rede conveniada e não conseguimos, optamos por ter. Todavia, veio uma outra Portaria Ministerial normatizando os Hospitais de Pequeno Porte (HPP,s), que só são permitidos, a partir de agora em municípios de até 30 mil habitantes. Então, o Hospital Municipal da forma que foi programado fica fora da HPP porque temos mais de 100 mil habitantes e teríamos uma grande dificuldade de conseguir financiamento público para seu funcionamento junto ao Sistema Único de Saúde (SUS)", revela o secretário de Saúde, Dimas Carvalho.

Mesmo com a mudança do projeto, inviabilizado pela NOAS, o governo Luiz Carlos de Oliveira continuará buscando a mudança de gestão, que, inclusive já foi garantida pelo Estado, mesmo sem a formatação do Hospital. "Para isso basta apenas assumirmos toda a média complexidade ambulatorial, já que a rede complementar não será administrada pelo Município, mas gerenciada nos seus procedimentos junto ao SUS pelo município de Garanhuns. Então, o que seria o Hospital Municipal será redirecionado para um Centro de Referência Municipal, onde vamos instituir toda a média complexidade ambulatorial, desde a parte que já dispomos, até a que precisamos implantar ainda, que é ortopedia, angiologia e cirurgia ambulatorial", revela o Dr. Dimas.

O Centro de Referência está previsto para funcionar ainda neste ano. "Neste Centro vamos instituir toda a nossa média complexidade, a que já existe no NASG e a que implantaremos a partir do dia 27 de julho, quando finalizaremos o Pactuação Programada Integrada (PPI). Já fizemos a primeira etapa e falta a finalização com a assinatura dos termos de compromisso", finaliza o secretário. Além de todos os serviços já em execução, a prefeitura irá ampliar o beneficio a população, implantando o Programa de Saúde Mental, o Programa de Atenção Bucal, com o Centro de Especialidades Odontológicas e o Centro de Referência, que disponibilizará todos os serviços já oferecidos pela municipalidade, além das especialidades de angiologia, cirurgia e ortopedia de ambulatorial. (Textos e fotos da Secretaria de Comunicação Social).