Garanhuns, 7 de maio de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO MUSICAL

Amanda Fonseca


Na edição passada comentei sobre os cantos gregorianos, que se tornam muito interessante em conhecer. Como sempre escrevo, não importa estilo, nacionalidade ou religião, música é música. Pesquisei uma matéria que achei muito interessante, sobre sons sagrados, o mantra.

O seu termo vem do sânscrito "man", que significa pensar e "tra", instrumento cujo som é um meio importante para a prática da meditação, dando sensação de paz, facilitando o pensamento para uma determinada "finalidade". Segundo os estudiosos o mantra tem a tarefa de abrir portas que podem conduzir o indivíduo à paz interior a todos os seres e divindades entre eles Deus, Krishna e Buda. A maioria dos mantras são recitadas em sânscrito, chinês, hebraico, aramaico etc. Na tradição indiana é necessário um som dotado de poder e sentido que podem transformar as pessoas dando abertura para uma vida espiritual. Na tradição Budista o mantra passa um sentido de qualidade e amor pela verdade que é utilizado mais em rituais e meditação. Na tradição Cabala, é uma espécie de mantra visual não sendo preciso repetição, basta olhar as palavras e lendo da direita para a esquerda (interessante, não?!) aprimorando mais o lado espiritual e sendo uma pessoa melhor a cada dia, e, na tradição cristã, muito usada a palavra Maranatha, que expressa "...Vem, senhor. Vem, Senhor Jesus!" usadas na maioria das vezes mentalmente, escolhendo também outras palavras como Paz, Jesus, desde que sejam utilizadas fielmente.

Não importa a tradição, os mantras são caminhos espirituais, utilizados na maioria das vezes sua a sílaba sagrada Om...Om... como característica por todos que os seguem, só há apenas uma recomendação...tenha fé e devoção ao praticá-lo!!!!

Até a próxima!!!!