Garanhuns, 7 de maio de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

COLUNA DE ULISSES

Ulisses Pinto


JOÃO MARQUES - O presidente da Academia de Letras de Garanhuns, João Marques dos Santos, garanhuense, homem de vasta cultura, lançou na noite do dia 30 de abril, no Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti, o livro de poesias intitulado "Partições do Silêncio", que tem na orelha da obra a participação do escritor, bacharel, jornalista e cidadão honorável de Garanhuns, Manoel Texeira Neto, que pertence à Academia de Letras de Olinda e Jurídicas de Pernambuco. O prefácio foi escrito pela notável e inteligente educadora Luzinete Laporte de Carvalho, também escritora. Como se vê, é uma dupla que enaltece o mundo literário e jurídico deste Estado.

João Marques é autor do Hino de Garanhuns, instituído por lei sancionada pelo ex-prefeito Bartolomeu Quidute.

A solenidade, prestigiada por centenas de pessoas, ligadas à intelectualidade, dentre os quais Roberto Almeida, Ruth Paes, Carlos Janduy, Nivaldo Tenório, poetas e escritores locais. A festa contou com a participação do Grupo de Artes, dirigido por Marcos Freitas, com uma apresentação muito aplaudida.

Presentes também o prefeito Luiz Carlos e sua esposa, Geni Oliveira, casal Givaldo e Maria Emília Valença, Dra. Ielma Lucena, Roberto Gueiros, da Gráfica Primeira Mão e sua esposa, a artista plástica Socorrinho Gueiros, secretários municipais e diretores de õrgãos da prefeitura.

Um coquetel fechou com chave de ouro o evento cultural, sem falar na noite de autógrafos. E por falar nisso, agradecemos ao Diretor de Cultura, o poeta João Marques, a oferta de um exemplar com gentil dedicatória.


ALFREDO LEITE - Mandamos confeccionar um quadro grande, com a foto de Alfredo Leite Cavalcanti (Patrono do Centro Cultural) e fizemos a entrega do mesmo, no último dia 30, no gabinete do prefeito, por sugestão de Marcos Régis, Secretário de Comunicação do Governo Municipal.

João Marques vai colocar no prédio na fachada do prédio, como é de direito, a frase "Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti, figura simples que escreveu o livro "História de Garanhuns".


PARTIDO VERDE - O PV local, sob a presidência de José Carlos Espinhara, escudado por outros companheiros da agremiação, ofereceu no restaurante o Chalé um café da manhã à imprensa local, com ampla participação dos profissionais de rádio e jornais. Após o seu discurso, Zé Carlos, como é conhecido, disse que o diretório, por maioria de votos, decidiu não mais apoiar a administração de Luiz Carlos de Oliveira, isso porque o prefeito não teria cumprido compromissos de campanha. O jornalista Almir Alves e o radialista Carlão usaram da palavra na ocasião. Já o vereador Sílvio, do PV, considerou cedo demais para tomar uma decisão contrária ao governante e anunciou o seu desligamento do Partido Verde. Mais além o parlamenar irá escolher uma nova organização política para se filiar. Quanto ao outro vereador da legenda, Natalício, que estava ausente, depois será anunciada sua posição, mas já se especula que o mesmo irá tomar o mesmo caminho de Silvio, saindo do PV.

Depois de tudo isso o café, por sinal muito gostoso.


DR SALES - Ocorreu no último dia 21 de abril, dia do mártir Tiradentes, Patrono Cívico da Nação Brasileira (Lei Federal), uma missa em ação de graças mandada celebrar por amigos e familiares do conhecido médico, falecido há anos, Dr. José Sales de Melo, uma das figuras mais brilhantes que passou por esta cidade. Um homem sincero, humanitário e que muito ajudou nas criações do Hospital Infantil Palmira Sales (sua mãe) e do Centro Social Pe. Dehon, no bairro da Boa Vista, junto da Igreja São Sebastião. O homenageado nasceu em Bezerros e morreu com 57 anos.

Após a missa solene, celebrada por Dom Gerardo Wanderlei, o qual foi amigo do Dr. Sales, houve discurso do Dr. Geraldo Calado (irmão de Givaldo), Dr. Ivaldo Rodrigues e o engenheiro civil Fernando Sales, irmão do querido médico Dr. Sales. Os discursos foram feitos durante um coquetel, no mosteiro de São Bento, nesta cidade.

Depois, aconteceram as inaugurações de placas no Hospital Infantil Palmira Sales, obra construída pelo saudoso padre Matias Lemmens, assim como a edificação do Centro Social Pe. Dehon, junto ao citado hospital. E foram colocadas naquela Casa de Saúde fotos de Dr. Sales e de sua mãe.

Discursaram Dr. Jurandy Araújo, fazendo grande e merecidos elogios ao padre Matias e do Dr. José Sales, pelas edificações do Hospital e do Centro Social Pe. Dehon, assim como a irmã Rita e em nome dos fiíes da paróquia da Boa Vista, este colunista, grande amigo do Dr. Sales e do padre Matias. Lembrei que o religioso fez o meu casamento e que meu filho, também chamado Ulisses, nasceu no "Palmira Sales".

O colunista exaltou, também, as figuras do médico Jurandy e do Dr. Geraldo Calado, que pediu para o prefeito de então, Souto Dourado, mandar colocar uma rua com o nome de Dr. Sales, que hoje existe no bairro de Heliópolis.

Foram solenidades que elevaram e dignificaram a ilustrada família. Estavam presentes a Sra. Otávia Sales e seus filhos Rosa, Plínio, José Antônio, Tereza, Denize e os irmãos Fernando, Lenira e Emília. Todos eles têm curso superior e moram em Olinda e Brasília. Não tivemos a presença de "medalhões", mas prestigiaram o ato pessoas abnegada como as senhoras Maria do Carmo Cordeiro e Luiza Gomes Brasileiro, auxiliares de primeira linha, ao lado do Pe. Matias e do Dr. Sales.