Garanhuns, 23 de abril de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

Aurora tem atuado em defesa de Garanhuns

Desde que assumiu o mandato de deputada estadual, em janeiro deste ano, a ex-primeira dama do município, Aurora Cristina, tem tido uma atuação firme em defesa dos interesses do povo de Garanhuns e região. A parlamentar tem apresentado projetos e requerimentos beneficiando os moradores do Agreste Meridional, se posicionou contra a ampliação do prédio da Fundac na cidade e defendeu a instalação do campus avançado da Universidade Federal de Pernambuco na Suíça Pernambucana.

No caso da polêmica ampliação da Fundac, que muitos temem ver transformada num presídio de menores infratores, a deputada disse que é a favor apenas da melhoria das condições de atendimento às crianças e adolescentes. "O que não podemos aceitar é que a instituição vire uma prisão e prejudique a imagem da cidade", afirmou Aurora Cristina.

Título de posse - Na Assembléia Legislativa, a parlamentar solicitou recentemente, ao governo do estado, que sejam entregues à população os títulos de posse remanescentes da vila do quartel e dos conjuntos residenciais santa rosa e boa vista, localizados em Garanhuns. Ela disse que há mais de 20 anos diversas famílias residem nos conjuntos residenciais, sem contudo, estarem guarnecidas dos títulos de posse de suas moradias, o que, por inúmeras vezes, tem gerado conflitos sociais.

Além de apresentar indicações e requerimentos em favor de Garanhuns e região, Aurora Cristina participa de quatro comissões na assembléia: agricultura, constituição, legislação e justiça; administração pública e saúde. Nestas comissões, a deputada tem sido relatora de diversos projetos de lei, oferecendo pareceres favoráveis ou contrários à sua aprovação.

Um exemplo é o projeto de lei nº 593/2004, que dispõe sobre a obrigatoriedade da publicação trimestral, pela secretaria de defesa social, das informações e índices de criminalidade no estado de pernambuco. Este teve parecer favorável da relatora do projeto, a deputada Aurora Cristina, que opinou, através de parecer apresentado na comissão de administração pública, pela sua aprovação, por se tratar de um importante mecanismo de controle dos índices de criminalidade pela sociedade.