Garanhuns, 9 de abril de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
GERAL
 

Angelim institui a Guarda Municipal

Numa iniciativa do prefeito Samuel Salgado (PT), foi criada em Angelim (22 km de Garanhuns), a Guarda Municipal, implantada oficialmente no último dia seis, numa solenidade simples realizada no Clube Ara, nas proximidades do centro da cidade. Dez homens vão integrar o efetivo e fazer o serviço de ronda noturna na zona urbana do município, com o objetivo de dar mais segurança a população.

A Guarda Municipal de Angelim é terceirizada, ficando a contratação dos homens a cargo da empresa AVS - Agreste Vigilâncias e Serviços. Segundo Ronildo Miranda, assessor executivo da prefeitura, o trabalho será feito em parceria com as polícia civil e militar. Os moradores da cidade receberam bem a novidade, certos de que a partir de agora os atos de vandalismo, roubos e outros tipos de violência serão coibidos com mais eficiência.

SAÚDE - Dentro das comemorações do Dia Mundial de Saúde a prefeitura de Angelim realizou na última quinta-feira, dia sete, o primeiro Mutirão de Saúde do município. Durante todo o dia foi dado atendimento à população, com a realização de consultas, exames, palestras e exibição de vídeos.

O mutirão foi organizado pela Secretaria de Saúde de Angelim, à frente José Carlos Cavalcanti e sua equipe. Também participaram do movimento, na Escola Miguel Calado Borba, alunos e professores do curso de Enfermagem da Escola Agrotécnica Federal de Belo Jardim.

DIFICULDADES - Aos poucos o governo petista de Samuel Salgado vai se organizando nas diversas áreas, com ações importantes na educação, na saúde, na ação social, na agricultura e no setor de infraestrutura. O novo prefeito encontrou um município desorganizado e com muitas dívidas, mas aos poucos as dificuldades estão sendo superadas.

Embora não queira ficar criticando seu antecessor, Samuel não consegue deixar de revelar certas fatos que até lhe surpreenderam. Um deles foi a aprensão de dezenas de pastas da prefeitura, com documentos oficiais, inclusive da área de finanças, que só foram entregues por Marco Calado (PFL) no final de março, três meses depois ele tinha terminado o seu mandato. Essa documentação, que devia estar na prefeitura, se encontrava toda na residência do ex-prefeito e só foi entregue depois que o atual governante se dispôs a recorrer à justiça.