Garanhuns, 12 de março de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Câmara aprova projeto que acaba com o voto secreto

Um projeto do vereador Sivaldo Albino que acaba com as votações secretas na Câmara Municipal foi aprovado esta semana, por oito votos a dois, depois de muita polêmica e discussão. Somente Marcelo Marçal (PT) e Armando Domingos (PDT), os dois filiados a partidos tidos como progressistas, se posicionaram contra a proposta, apoiada pelos outros parlamentares, sejam governistas ou oposicionistas.

A partir de agora em qualquer matéria submetida à apreciação do plenário, na Câmara Municipal de Garanhuns, os vereadores terão de votar em aberto, de modo que a população possa saber como estão se posicionando os seus representantes. O presidente do Legislativo e autor do projeto, Sivaldo Albino, considera a idéia avançada e diz que sua iniciativa é inédita no país. "Partimos na frente de muitas outras cidades, de Assembléia Legislativas e da Câmara Federal", disse, satisfeito, o vereador.

Um dos dois vereadores que votaram contra a proposta, o pedetista Armando Domingos argumentou que "o povo de Garanhuns ainda não está preparado para um projeto desses". A sua declaração foi muito criticada, inclusive por representantes dos partidos de esquerda, como Ivaldo Bispo, do diretório local do PT. "É de se perguntar se o povo estava preparado para eleger esse vereador", questionou Bispo. O presidente do PT no município, Méviton Araújo, também elogiou a iniciativa do tucano Sivaldo e sua aprovação pela Câmara. O dirigente petista criticou o vereador do seu partido por ter votado contra o projeto.