Garanhuns, 12 de março de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Políticos debatem problemas do queijo em Venturosa

VENTUROSA - Neste município, a 58 km de Garanhuns, estiveram reunidos na quarta-feira, dia 2, políticos de diferentes correntes políticas, produtores de leite e de queijo do semi-árido e técnicos do governo do Estado para discutir os principais problemas do setor pecuário no interior de Pernambuco. O encontro teve a participação ainda de Saulo Siqueira, chefe de gabinete do deputado Claudiano Martins (PMDB), que apresentou uma projeto na Assembléia Legislativa beneficiando os produtores de queijo das cidades da região.

Na opinião do prefeito Eudes Tenório, de Venturosa, a região é sofrida e o deputado peemedebista está tentando uma maneira de ajudar o povo, que passa por toda sorte de dificuldades, a começar pela questão da falta d´água. "Os produtores de leite e de queijo já não têm preços para seus produtos e o governo ainda coloca uma fiscalização rigorosa, que dificulta o trabalho do agricultor e do pecuarista, inviabilizando a vida no campo", desabafou o prefeito.

Eudes Tenório defende que a legislação deve ser cumprida, mas argumenta que se deve dar um tempo para que o agropecuarista, o produtor de leite e de queijo se adapte a realidade da região em que vive. "Há 40 anos que a situação é a mesma. É preciso de fazer alguma coisa para que esses produtores tenham uma vida mais digna", defendeu o prefeito de Venturosa.

COOPERATIVAS - Segundo César Arãao, agropecuarista no município de Pedra, que participou da reunião em Venturosa, o deputado Claudiano Martins está pensando de forma positiva ao tentar organizar o setor de produtores de queijo. "A maioria aqui produz 20 ou 30 litros de leite por dia e não têm condições de fazer uma fábrica. Temos de pensar em formar cooperativas e associações que podem atender 10, 20 ou 30 produtores de uma vez", aconselhou o agropecuarista.

César Arãao lamenta que os agricultores do interior pernambucano tenham mentalidade individualista, enquanto no Sul e Sudeste é diferente. "Lá eles produzem até mil litros de leite por dia, enquanto aqui se tira de 20 a 50 litros. E quem vende 10 a 20 km de queijo ao atravessador, que é quem ganha dinheiro, não vai a lugar nenhum. Na situação atual é inevitável o êxodo rural", alertou César.

O projeto do deputado Claudiano Martins, apresentado na Assembléia Legislativa, objetiva organizar os produtores de queijo artesanal da maioria dos municípios do Agreste Meridional e cidades de outras regiões. Se a proposta passar no Legislativo serão beneficiados os pequenos agropecuaristas de cidades como Cachoeirinha, Bom Conselho, Capoeiras, São Bento do Una, Venturosa e Pedra, dentre outras. Como relatora do projeto, foi escolhida a deputada Aurora Cristina, também do PMDB.