Garanhuns, 12 de março de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

HUMOR

Raulzito


Salada ideológica

Garanhuns não está mais cada vez melhor. Sirvino, quem diria, está fazendo falta, com sua cara tão bonitinha. E Luiz está todo enrolado, ele e seu secretariado dinâmico e de peso. Só dona Lurdinha pesa quase 100 quilos. E o Frias, hein? Não tem carteira de motorista, não sabe dirigir, troca os pés pelas mãos nas entrevistas de rádio e nem ao menos conseguiu ainda tapar o primeiro buraco nas ruas da Suíça Nordestina. Não é à toa que tem rua parecendo queijo suíço ou cara de adolescente numa explosão hormonal.

Mas quem disse que eu quero falar mal de Garanhuns às vésperas da Garanheta, essa festa de nome tão sugestivo? Sou 100% cidade das flores e vou me esbaldar na avenida, quando ver pela primeira vez no carnaval fora de época o tal de chiclete com banana e aveia. Eu e minha namorada, a Viviane, que este ano estreará um short curtíssimo, desses que mostram a polpa da bunda e deixam os rapazes malucos. Mas não adianta olhar, é tudo meu e eu permito essa liberalidade da minha namorada só pra matar todo mundo de inveja.

Este ano a Garanheta (e não esqueçam que se fosse em Capoeiras a festa seria chamada de Capunheta), será um arraso total. Tanto que estão brigando por tudo: porque o Pileke não vai sair, porque o Me Beija foi criado, porque o Bicho ameaça não pegar, porque o Ivanzinho sabe tudo não está na secretaria e... Chega de tanto porquê. A briga maior é pela grana dos camarotes, que foram licitados a R$ 720, estão sendo vendidos pelos cambistas a R$ 1.300 e tem gente que ainda acha pouco. Defendem que deviam custar R$ 5.000 e os pobres que se fodam. O Givaldo e o Izaías, que não são bestas, mandaram fazer camarotes alternativos, noutro local, longe dos oficiais licitados de mentirinha pela prefeitura.

Mas o Carnaval fora de época 2005 tem tudo pra ser um sucesso e tenho uma idéia arretada pra garantir público recorde, cobertura total da mídia, inclusive da revista Veja e da TV Globo. É a criação do bloco Salada Ideológica, que terá como presidente da honra a nova estrela da política nacional, o deputado Severino Cavalcanti, mais conhecido como Biu de João Alfredo.

E antes que alguém conteste minha idéia, vamos aos argumentos: em Brasília o Severino está sendo babado por todo mundo, até pelos seguranças e ministros do presidente Lula. Em Goiás ele deu tanto autógrafo numa visita que fez a uma cidade do interior que teve de engessar a mão. No Recife, foi lindo: no mesmo palanque estavam o prefeito João Paulo, o ministro Eduardo Dudu dos Precatórios, o governador Jarbas do Vasconcelos, Ricardo Fiúzão da Silva, o honestíssimo Pedro Correia e o mais honesto ainda Paulo Maluf. Tudo no mesmo espaço, no mesmo palanque e só faltou alguém da Igreja Católica (por onde anda o padre Vito Miracapillo?) para abençoar a cena tão linda.

Na terra natal do deputado então, em João Alfredo, foi a apoteose total. Dizem que até os mortos, no simpático cemitério da cidadezinha, se regojizaram com o Biu. "Severino, Severino", gritavam os populares, diante da estrela, mais parecendo os desesperados torcedores do Náutico, que este ano disputa o campeonato não com o Sport ou Santa, mas luta para não ficar atrás do Porto, Serrano ou Manchete.

Assim, não tenho a menor dúvida do êxito da Garanheta e do impulso que será dado a festa com a criação do Salada Ideológica. O nosso Carnaval fora de época poderia até se internacionalizar. Viria um representação de Brasília, um comunista enviado por Fidel Castro, um argentino pra dançar tango da Bahia e um representante do companheiro Hugo Chavéz. Acho que até o Bucha de Canhão, o tampa de crush dos Estados Unidos mandaria alguém e só espero que bombas e soldados não venham juntos.

No domingo de encerramento, já posso ver a cena antológica: Biu nos camarotes, arrodeado pelo Sirvino, o Izaías, o promotor Alexandre Grande, Givaldo Falante, Paulo em cima do Camelo, Bartolomeu perdeu os quichutes, Luiz Carlos e seu eletrizante secretariado, o prefeito do Recife e toda prefeitada do Agreste e as meninas de pernas de fora, lá em embaixo gritando "Severino, Severino, Severino..."

A gente só corre um perigo, diante dessa loucura. É que Bel Marques desgrude de Garanhuns, não venha mais a Garanheta, com ciúmes do Biu, que tem tudo para lhe roubar o fã clube. Espero que a Viviane também não queira se engraçar com a careca do presidente da Câmara Federal e ele não bote o olho no short curto dela. O Severino, como se sabe não tolera viado, mas nunca ouvi falar que não gosta de mulher. Se quiser dar uma de engraçado pra cima de mim vai ter briga e aí vou ficar famoso e aparecer no Fantástico por ter dado uma mãozada no novo rei do Brasil.

Eita paizinho para gostar de rei: como se não bastassem o Pelé, o Roberto Carlos, o Luiz Gonzaga, ainda arranjaram mais esse, o rei do baixo clero. Te cuida Luiz da Farmácia, te cuida Lula da Silva, que a coisa tá feia.

Viva a Garanheta!