Garanhuns, 12 de março de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO MUSICAL

Amanda Feitosa


Segundo um ditado popular, para a sua vida ser completa você deve plantar uma árvore, ter filho e escrever um livro. Aí sim, sua missão nessa terra será cumprida.

No inicio dos anos 80 o Brasil descobre um Poeta. Fazendo o estilo roqueiro, batizado como Agenor de Miranda Araújo Neto, foi apeliado pelo seu pai, João Araújo, como CAZUZA, que tem o significado "nordestino" de moleque. Um boêmio na cidade maravilhosa, Rio de Janeiro, com o trinômio em sexo, drogas e rock 'n' roll assim podemos definir seu estilo de vida, CAZUZA descobriu o seu dom de cantar através de aulas de interpretação. Da garagem aos Palcos, Roberto Frejat, Dé, Maurício Barros, Guto Goffi e Cazuza formaram a Banda BARÃO VERMELHO.

Um de seus fãs, CAETANO VELOSO, incluiu no repertório dos seus shows a canção Todo Amor Que Houver Nessa Vida (que CAZUZA compôs) criticando as rádios por não tocarem as músicas da banda. A Liberdade foi a sua maior paixão e isso fez com que CAZUZA saísse da Banda e seguisse carreira solo, lançando em novembro de 1985 seu 1º álbum , que incluia dentre outras canções o rock "Exagerado" e "Codinome Beija Flor", que marcaram sua carreira. A escritora Clarice Lispector teve uma referência literária muito importante na vida de CAZUZA. Antes de estrear o show "Só se for a dois" ele tinha adoecido e depois veio a confirmação do vírus HIV. Ele foi levado pelos pais à cidade de Boston, nos EUA, passando dois meses de tratamento intensivo. Ao voltar ao Brasil gravou Ideologia, aparecendo então um CAZUZA mais magro, com um lenço na cabeça para disfarçar sua perda de cabelo por causa do tratamento.

CAZUZA morreu no dia 07 de julho de 1990. Sua sepultura está localizada próxima de astros como Carmem Miranda e Clara Nunes, no cemitério São João Batista, na cidade do Rio de Janeiro.

Canções como Vida louca vida, Brasil, Burguesia, O Tempo Não Pára, entre outras, mostra que Agenor Miranda de Araújo Neto foi embora, mas cumpriu sua missão aqui na terra, por deixar suas raízes em forma de poesia!!! Se querem saber mais sobre o "artista louco" assim era conhecido o cantor e compositor, assistam CAZUZA, O Tempo Não Pára!!

Até a próxima!!!