Garanhuns, 26 de fevereiro de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Samuel Salgado vive dias difíceis em Angelim
Até ameaças de morte o petista vem sofrendo

O prefeito de Angelim, Samuel Salgado (PT), denunciou durante reunião realizada na sede da Codeam, que através de telefonemas anônimos ele e pessoas de sua família vêm sendo ameaçados de morte. Numa das ligações, atendida por sua esposa, Ione, um desconhecido disse que se Samuel não mudar a maneira de administrar ele ou um dos seus filhos poderá sofrer as conseqüências. "Resolvi tornar o assunto público porque não sei se trata de um blefe ou estão falando sério. O fato é que há pouco uma freira foi assassinada no Pará e não quero me transformar e mais uma vítima", desabafou Samuel.

Segundo o petista, desde que ele assumiu a prefeitura, em janeiro, uma sucessão de fatos estranhos vêm acontecendo no município. Um terreno público foi invadido, duas escolas foram depredadas e equipamentos da prefeitura foram danificados. Por último vieram as ameaças, que começaram de forma velada, em conversas de rua, e depois foram os telefonemas para sua residência. "Acredito que estão tentando atingir meu equilíbrio e quebrar a tranqüilidade que sempre existiu em Angelim, mas não vão conseguir", afirmou Salgado.

BLOQUEIO - Para completar o quadro de dificuldades, desde o dia 20 de dezembro, quando o prefeito ainda era Marco Calado (PFL), que o Fundo de Participação do Município, FPM, se encontra bloqueado. Assim, até o último dia 21 a prefeitura não dispunha de recursos em caixa suficientes para pagamentos de funcionários e fornecedores, levando muitas pessoas da cidade a passar dificuldades. Esse problema, no entanto, foi resolvido durante esta semana (ver matéria na pág. 10).

Um grupo de servidores, ligados ao prefeito anterior chegou a anunciar uma série de entrevistas às emissoras de rádio de Garanhuns, denunciando perseguição política e não pagamento do funcionalismo por parte de Samuel Salgado, que assim seria responsabilizado pela fome de muitos angelinenses. Num primeiro momento, esse grupo recuou, por conta das denúncias do prefeito das ameaças que vem sofrendo.

Mas o ex-secretário de Saúde de Angelim, Marco Calado, acompanhado da professora Ivânia, os dois aprovados no concurso realizado na gestão do ex-prefeito, foram a Rádio Sete Colinas e criticaram Samuel. "Ele nos persegue e deixa o povo de Angelim passando necessidade", protestou Ivânia, chegando a chorar durante a entrevista.

O prefeito, no entanto, deixou claro nas entrevistas à imprensa de Garanhuns que o bloqueio do FPM é de inteira responsabilidade da gestão de Marco Calado. Assim, o sofrimento dos servidores, neste início de ano, não seria por sua culpa e sim do seu antecessor.

CONCURSO - Moradores de Angelim consideram suspeito o concurso público realizado na administração de Marco Calado, uma vez que só foram aprovados na seleção pessoas ligadas ao pefelista. Diante das evidências, Samuel Salgado ainda tentou anular as provas e demitir os novos funcionários, mas o juiz da comarca mandou reintegrar todo mundo e acusou o prefeito, na sentença, de agir por motivação política.

Convencido de que está com a razão, o petista já consultou juristas de renome que vêem no concurso realmente indícios de fraude. Existe assim a possibilidade da prefeitura tentar anular a seleção em outra instância, acirrando mais ainda os ânimos dos correligionários de Marco Calado. "É muito estranho um concurso em que só passaram os correligionários do ex-prefeito. E tem mais: os dois filhos do ex-prefeito ficaram com o primeiro e o segundo lugar nas provas", disse um dos advogados que está sendo consultado pela prefeitura de Angelim sobre a polêmica.