Garanhuns, 26 de fevereiro de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

Qualidade de vida começa pelo verde

Marcílio Viana Luna Filho


Os garanhuenses têm um orgulho imenso de possuir em sua cidade um parque como o Ruber van der Linden, mais conhecido como Pau Pombo, local de variadas espécies arbóreas e inconfundível clima de bem-estar que transmite aos seus visitantes. É ótimo ter um local no centro da cidade em que ao entrarmos somos "tomados" por uma sensação de tranqüilidade, paz e alívio nos dias de calor, característico ao nosso Agreste Meridional.

Nos dias atuais o calor vem sendo um grande vilão para as maiores cidades do mundo, pois o aumento da temperatura é uma realidade que assombra todo o planeta, o que tem uma influência direta da relação entre o homem e suas ações danosas ao meio ambiente. Estes danos ao meio ambiente refletem em elementos climáticos como intensidade de radiação solar, a temperatura, a umidade relativa do ar, a precipitação e a circulação do ar, entre outros, que são afetados pelas condições de artificialidade do meio urbano, tais como as características de sua superfície, o suprimento extra de energia, a ausência de vegetação, a poluição do ar e as características dos materiais e edificações.

A arborização urbana em vias públicas, praças e parques das cidades modernas é uma necessidade para a vida de seus habitantes. Neste contexto a Organização Mundial da Saúde da ONU estabelece limites para relação "número de habitantes por m² de área verde", cujo valor na maioria de nossas cidades está a baixo do limite exigido. A arborização de uma cidade contribui com vários benefícios ao meio urbano, tais como: o sombreamento e diminuição da temperatura, redução da poluição, amenização da poluição sonora e age sobre o bem-estar físico e psíquico do homem, dentre outros. Cabe aos governos municipais atuar no sentido de disponibilizar aos seus munícipes, áreas verdes como ruas e avenidas bem arborizadas, praças e parques espalhados pelo município.

Uma boa arborização exige organização e cuidados, muito além de plantar árvores o município necessita de tratos permanentes para manter a correta manutenção e assim evitar danos estruturais às vias públicas, rede elétrica e principalmente à população. Sendo assim a manutenção da arborização deve ser uma prática constante do governo municipal visando sempre à qualidade de vida dos seus cidadãos. Uma prática constante na manutenção da arborização urbana é a chamada Poda, onde podemos observar uma ação que geralmente é danosa à árvore em virtude da execução errada da atividade, isto é devido tanto pela falta de conhecimento técnico da poda, quanto pela utilização de ferramentas inadequadas.
A escolha de espécies adequadas para a arborização de uma cidade pode ser um ponto chave para a realização de um bom trabalho. Contudo não existe uma espécie ideal para ser plantada em vias públicas, no entanto existem variadas espécies com características desejáveis, que podem ser plantadas conjuntamente numa mesma rua. O uso de uma única ou poucas espécies é uma prática desaconselhável sob o ponto de vista ecológico, porque formaria um ecossistema simples e vulnerável.
O surgimento de uma praga ou doença seria muito viável e seus efeitos mais danosos. Portanto o uso de diferentes espécies seria mais seguro e bonito, salientando ainda que uma arborização planejada não causa danos às calçadas, bem como à rede elétrica e principalmente não provoca transtornos aos pedestres.

A qualidade de vida de uma cidade sofre grande influência do meio ambiente, pois quando somos submetido à um ambiente em desequilíbrio ficamos sujeitos às suas mazelas, que podem nos provocar além de doenças, desconfortos no dia a dia de uma cidade, tais como alagamentos, quedas de barreiras, excesso de calor e poluição, entre outros. Portanto é de fundamental importância a criação de áreas verdes e a manutenção das já existentes, bem como a arborização de ruas e avenidas, sendo dever do Poder Público e direito de todo cidadão, visando o compromisso de proporcionar às futuras populações condições climáticas que permitam a possibilidade de uma vida saudável e duradoura, pois a qualidade de vida começa pelo verde e este significa muito mais do que plantas e árvores, ele pode diferenciar a qualidade de vida de toda uma população.


Marcílio Viana Luna Filho é engenheiro florestal / consultor ambiental. E-mail: marciliovlf@zipmail.com.br