Garanhuns, 22 de janeiro de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Promotor Alexandre cobra postura de Aluízio Alves

O promotor público Alexandre Bezerra, que atua em Garanhuns na área da cidadania, enviou aos principais jornais da cidade uma carta aberta ao radialista Aluízio Alves, gerente da Rádio Jornal e apresentador do programa Ronda Policial, criticando o profissional por divulgação de fatos "direcionados para denegrir a sua imagem". Segundo Alexandre, por duas vezes a antiga Difusora colocou no ar fatos sem comprovação, estando a emissora sujeita a uma ação por calúnia, difamação e injúria, além de pagamento de indenização. Na íntegra, eis a carta do promotor:

Caro amigo Aluísio Alves,

No ensejo dos últimos acontecimentos ocupo neste momento meu tempo para manifestar a vossa senhoria a profunda decepção que sofri ao escutar na difusora da Rádio Jornal de Garanhuns, mais uma vez, fatos inverídicos que procuram atingir minha imagem de homem público.

Sou o maior defensor de uma imprensa livre, sem qualquer tipo de censura. Mas como jurista e cidadão de imagem ilibada não posso deixar de protestar pela veiculação de fatos, antes que a própria informação venha a ser confirmada como verdadeira.

Na primeira oportunidade permitiu vossa senhoria que o ex-deputado federal Carlos Batata lançasse ao seu público, contra mim, falsas acusações. Naquele instante me pareceu suficiente responder ao ex-deputado federal através da própria restransmissora e processá-lo criminalmente. Agora, recentemente, permitiu vossa senhoria que o programa apreesentado pela manhã trouxesse aos seus ouvintes um tal de Zé Barbosa, que disse residir no distrito de São Pedro, à rua Cumaru 55, para transformar um simples acidente automobilístico em algo monstruoso.

O tal Zé Barbosa, procurei saber, nunca existiu, como não existe a rua Cumaru - casa 55, no distrito de São Pedro, município de Garanhuns.

Tenho consciência de minhas responsabilidades como cidadão e homem público. Conheço a lei e o respeito. Por isso jamais faria o que disse aquela indigitada pessoa, que comprovadamente possui outra identidade.

Daí eu pergunto: qual a razão de tudo isso? Não preciso de tempo para responder. Trata-se pura e simplesmente de ação política, disseminada a boca miúda por peessoas descompromissadas com o justo, com o certo, com a verdade.

Sabe vossa senhoria que fui candidato ao cargo de Prefeito de Garanhuns no pleito passado. Esse fato, por si só explica: porquanto obtive expressiva votação, que me credenciou a concorrer a qualquer mandato local ou regional.

Mas quero deixar claro a você, a seus ouvintes, e a esses algozes, que se revelam maus políticos: saí da política, e retornei à Promotoria de Justiça para defender os interesses públicos, e isso eu não abro mão, seja a que preço for.

Peço a Deus que as coisas mudem e que Garanhuns reencontre o caminho de seu desenvolvimento. Mas sei que enquanto aqueles expedientes continuarem a ser usados, permanecerão existindo os abutres que consomem o dinheiro público, a honra e a imagem dos homens de bem, pois promovem a desordem e o caos, através da falta de médicos, medicamentos, professores, e da sangria desefreada da corrupção, que mata mais do que qualquer outra coisa.

O acidente foi uma fatalidade. Graças a Deus não houve vítimas, restando apenas prejuízos materiais, que inclusive comecei na tratar, e aí incluo o dano causado ao patrimônio público, pois encaminhei ao Prefeito de Garanhuns toda documentação necessária na obtenção do prêmio da apólice de seguro que mantenho, suficiente para qualquer despesa da administração.

Por fim, passo a ressaltar que uma rádio de tamanha envergadura não pode se deixar levar ou enganar por interesses espúrios, e por essa especial razão informo que adiante de eventual próxima vez vou aos tribunais do País buscar a devida indenização, além da responsabilidade dos sujeitos delituosos, autores das calúnias, difamações e injúrias.

Atenciosamente,
Alexandre Augusto Bezerra