Garanhuns, 8 de janeiro de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
ESPECIAL
 

Pe. Aldo toma posse com apoio popular

Depois de obter uma das vitórias mais expressivas nas eleições municipais de 2004, o padre Aldo Mariano assumiu a prefeitura de São Bento do Una, no dia primeiro de janeiro, num clima de festa e com o apoio de lideranças populares e empresariais da terra de Alceu Valença. A posse de Pe. Aldo e do vice-prefeito José Almeida, no plenário da Câmara dos Vereadores, lotou completamente o salão e as pessoas tiveram que disputar espaço para assistir a solenidade.

Antes da posse do prefeito e seu vice, os vereadores elegeram a nova Mesa Diretora da Câmara, tendo sido escolhido para dirigir o Legislativo o vereador Nélson Morais, que está no terceiro mandato. Evânio Marinho ficou com a vice-presidência, Eraldo Gleidson foi eleito para a primeira secretaria e José Valter Ferreira teve seu nome confirmado como segundo secretário. A oposição, minoritária, não ficou com nenhum cargo na Mesa.

Pouco antes da eleição do presidente da Câmara, o vereador Eraldo Gleidson, do PT, fez um dos discursos mais aplaudidos da tarde do sábado, dia primeiro. O parlamentar atacou duramente a administração do ex-prefeito Paulo Afonso, a quem chamou de irresponsável, por deixar o município numa situação de abandono, com salários atrasados, dívidas e o hospital público completamente vazio, pois todos os equipamentos foram retirados do mesmo, depois da eleição. Gleidson combateu a prática do clientelismo na política e defendeu um mandato parlamentar voltado para a fiscalização do Executivo, com a elaboração de leis que beneficiem os cidadãos. O petista saudou a vitória de Pe. Aldo e José Almeida, afirmando que os dois irão possibilitar a recuperação de São Bento.

Depois dos discursos e da escolha dos novos membros da Mesa Diretora da Câmara, os vereadores deram um intervalo de meia hora e então foram chamados ao plenário o prefeito e vice-prefeito, padre Aldo e empresário José Almeida. Os dois foram empossados num clima de emoção, com muitos aplausos dos populares que lotaram o prédio do Legislativo Municipal.

RESPONSABILIDADE - Pe Aldo disse que sentia uma alegria muito grande ao ser empossado prefeito, mas também uma responsabilidade enorme, principalmente por conta da situação em que se encontra o município. "A situação é de extremo caos. Só pra dar um exemplo a única ambulância que nós recebemos está com o motor batido e o carro do gabinete foi entregue com os quatro pneus baixos", revelou o prefeito ao Correio Sete Colinas.

O religioso afirmou que sua primeira preocupação é cuidar da educação e do hospital municipal. Este, segundo o prefeito, está sem nenhuma condição de funcionamento. "Nós não temos uma única cama na unidade de saúde e recomendamos ao secretário da área e diretor do hospital para que tomasse as primeiras providências de modo a se fazer um atendimento emergencial", esclareceu o governante.

O novo prefeito pegou o município com o 13º e dois meses de salário atrasados, mas revelou o desejo de colocar a casa em ordem o mais cedo possível. "Nós temos uma dupla ou tripla ação em São Bento do Una. Primeiro é devolver ao município a importância que ele sempre teve no interior do Estado, desde a época de Lívio Valença. Devemos resgatar aqui a moralidade e a ética e fazer com que funcione minimamente os serviços essenciais de maneira a devolver a auto-estima ao povo", afirmou Pe. Aldo, que anunciou o pagamento do mês de janeiro do funcionalismo para o próximo dia 30.

O prefeito defendeu ainda um programa de geração de empregos no município, embora esteja consciente de que esse é um problema nacional. "Mas nós como prefeitos temos de ter alternativas para a população e não podemos ficar mendigando perante o governo da União", explicitou. Por conta das dificuldades herdadas da gestão anterior, a Festa de Reis em São Bento, este ano, teve a duração de apenas três dias, tendo sido encerrada no último dia cinco.

SECRETARIADO - Como havia dito logo depois da eleição ao Correio Sete Colinas, Pe. Aldo montou um secretariado formado exclusivamente por pessoas radicadas em São Bento do Una. Ninguém de fora participa da equipe e foram contempladas nos cargos de primeiro escalão as diversas forças políticas que o apoiaram na campanha de 2004.

Os novos secretários de São Bento do Una são os seguintes: Gilvani Cavalcanti (Finanças), Jair Matias (Administração), Dr. Carlos (Saúde), Miriam Almeida Rocha (Educação), Paulo Renato (Agricultura), Antônio Almeida (Obras), Valdênio Valença (Cultura), Edilson Pacheco (Desenvolvimento Econômico) e Fátima Queiroz (Ação Social). A funcionária pública Ana Flávia, que está se despedindo da presidência do Sindicato dos Servidores Municipais, é a tesoureira da da prefeitura. (R.A.)