Garanhuns, 8 de janeiro de 2005
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO POLÍTICO

Roberto Almeida


A ERA SILVINO

Matéria publicada na última edição do Correio, intitulada "Acaba a Era Silvino", teve ampla repercussão na cidade e fora dela. Ex-prefeitos, médicos, advogados, profissionais liberais, colegas jornalistas e cidadãos comuns expressaram sua aprovação à reportagem, que faz uma análise dos oito anos de governo do ex-prefeito. A maioria se apegou mais na parte crítica, que vê o lado negativo do líder político peemedebista, mas teve gente também reclamando, achando que elogiamos demais. A verdade é que não procuramos denegrir nem incensar ninguém e sim mostrar da maneira mais eqüilibrada possível a nossa visão sobre esse homem público que tanto marcou o município de Garanhuns, principalmente nos últimos anos. De todo modo é bom saber que o público leitor de jornal, apesar de pequeno, é significativo, e formado por pessoas de peso, que pensam e formam opinião.


SECRETARIADO

A avaliação que se faz na cidade, inclusive entre partidários do novo prefeito, é que os secretários mais próximos de Luiz Carlos são a mulher, Geni Oliveira, o cunhado, Carlos Ferraz, e o irmão da maçonaria, Eber Frias. Os outros integrantes da equipe teriam sido indicados por influência de Silvino ou Almir Penaforte.


SECRETARIADO II

Apesar de ter emplacado nomes como João Guido (Planejamento), Júlio Sampaio (Turismo), Marcos Régis (Comunicação) e Clínio Reinaldo (Procuradoria Jurídica) o ex-prefeito Silvino Andrade não ficou inteiramente satisfeito com a equipe escolhida pelo sucessor. Uma pessoa muito sua andou confidenciando a amigos que "Luiz já começou cometendo erros".


SECRETARIADO III

Se imagina que o ex-prefeito não gostaria que Ivan Júnior tivesse continuado no governo, apesar de ter sido seu secretário. Mas o mais díficil para Silvino foi engolir Dr. Dimas na Saúde, uma vez que o médico e primeiro suplente de vereador teve a coragem de desafiá-lo, logo após o resultado da eleição de três de outubro de 2004.


EQUILÍBRIO

Tanto quando anunciou o secretariado quanto na posse, Luiz Carlos fez bons discursos, considerados eqüilibrados até por quem não votou nele. Um fato positivo também é que o novo prefeito deixou claro que saberá tolerar a discordância, acenando assim para uma gestão democrática.


BOM COMEÇO

Marcos Régis começou bem na Comunicação, abrindo diálogo com os profissionais de imprensa e prometendo valorizar mais os jornalistas e radalistas da cidade. A secretária de Assistência Social, Geni Oliveira, deixou o repórter Fernando Rodolfo (FM Sete Colinas) impressionado pela forma simpática que o atendeu. Já Maria de Lourdes, da Educação, deu um chá de cadeira em Thiago Correia, da Marano, que deixou o rapaz irritado.


DEMITIR

Uma indicação de Luiz Carlos para sua equipe de governo preocupou especialmente o ex-prefeito Silvino. "Nunca é bom indicar quem não se pode demitir", observou o peemedebista ao sucessor, sobre determinada nomeação.


CARTÃO DE NATAL

O gabinete do deputado estadual Izaías Régis enviou cartões de Natal para Ivo e Edejalva Amaral para o seguinte endereço: Rua Napoleão Almeida, 95. Acontece que nesta casa reside o colunista e funciona a redação/escritório do Correio Sete Colinas. O ex-prefeito e ex-deputado Ivo Amaral e sua esposa Edejanalva moram na mesma casa da Avenida Rotary há 50 anos. A assessoria do parlamentar precisa tomar cuidado com essas coisas, pois pode no próximo ano terminar enviando cartões de Natal para os garanhuenses no município de Gravatá.


OUTDOOR

O ex-prefeito Silvino Andrade e a primeira dama Aurora Cristina aparecem em vistoso outdoor, nesse início de 2005, dizendo que foi muito bom governar Garanhuns durante oito anos. Bem bolado. Os dois realmente administraram juntos o município, durante dois mandatos. Agora, o que não se sabe é se o material publicitário foi pago com dinheiro próprio ou do contribuinte.


EUROPA

Juntamente com mais dois colegas de bancada, o deputado estadual Izaías Régis passou o final de ano na Europa, mais precisamente na Espanha. Foi representado na posse do prefeito de Angelim, Samuel Salgado, pelo presidente em exercício da Associação Comercial, Roberto Ivo.


IMAGEM

A imagem do ex-prefeito de Angelim, Marco Calado, que era boa no seu município e no Agreste Meridional, ficou arranhada no final do mandato. No dia da posse, Samuel e Esberaldo (prefeito e vice) revelaram estar herdando uma dívida de R$ 5 milhões. E denunciaram o sumiço na prefeitura de carteiras escolares, computadores, fogões e botijões de gás.


RADICALIZAÇÃO

O clima de radicalização política em Capoeiras é tão forte que os quatro vereadores da oposição, eleitos na chapa de Dudu, não compareceram a cerimônia de posse do prefeito Nenen. Este aproveitou para bater duro nos adversários.


EXAGERO?

Um secretário de uma importante cidade do Agreste confidenciou a um amigo, no final de 2004, o seguinte: o prefeito não está saindo do cargo com menos de R$ 10 milhões de reais em conta bancária. Das duas uma: ou o secretário é um exagerado ou o seu ex-chefe é muito esperto.


A VERDADE

Instigado por Marcos Cardoso, o ex-prefeito Silvino Andrade disse no programa Manhã Total que foi mal interpretado nas suas declarações sobre cultura. A versão dele, dada na emissora do bairro do Magano, é de que quis dizer que Belo Jardim tem vocação para música, Caruaru para o artesanato de Vitalino e Garanhuns para as letras.

Naturalmente o ex-prefeito está tentando consertar a sua gafe e de uma maneira "elegante" desmentir o jornalista. Mas o que ele disse mesmo na Sete Colinas, bem antes da campanha política, foi que "Roberto Almeida fica com esse negócio de lutar pela cultura, mas isso em Garanhuns não dá certo, é coisa para Belo Jardim e Caruaru". Não falou na música de Belo Jardim, nem no barro de Vitalino, muito menos nos escritores de Garanhuns. Mas para os políticos é permitido tudo, inclusive faltar com a verdade.

Por fim, e encerrando o assunto, agradeço imensamente a Silvino - para quem trabalhei na campanha de 2000 como jornalista e agora insinua que o critico por motivação política - meu muitissimo obrigado pelos elogios feitos no programa de Marcos Cardoso. A qualificação de muito inteligente, vindo de tal liderança, com certeza me deixa lisonjeado.