Garanhuns, 18 de dezembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

Mistério sobre secretariado acaba na próxima semana

Nos próximos dias os moradores de Garanhuns finalmente vão saber quem será o secretariado de Luiz Carlos de Oliveira, que assume o mandato de prefeito do município no dia primeiro de janeiro. Desde a vitória do peemedebista na eleição de outubro que o Correio vem divulgando os nomes de possíveis ocupantes da equipe de governo, mas ninguém até agora foi confirmado oficialmente pelo futuro dirigente.

Mesmo aliados de Luiz, pessoas que fizeram a campanha vitoriosa do PMDB, têm dúvidas com relação aos nomes que vêm sendo anunciados, embora alguns deles sejam considerados figuras certas na administração que começa em 2005. As maiores interrogações estão relacionadas com as pastas de educação, saúde e turismo, porém mesmo para estas secretarias já existem pistas que levam a especulação em torno de alguns nomes.

OS SECRETÁRIOS - Pelo quebra-cabeça que vem sendo montado por parte da imprensa e observadores políticos locais o secretariado do novo prefeito terá Carlos Ferraz na área das Finanças, Geni Oliveira na Ação Social e Antônio Carlos Bartolomeu na Agricultura. O vice-prefeito eleito, Almir Penaforte, passou a ser apontado como futuro secretário de Governo, podendo Heber Frias ficar com a pasta de Administração. O genro de Ivo Amaral, Nilo Almeida, poderia ser deslocado para o setor de Turismo.

O atual secretário de Desenvolvimento Econômico, João Guido, é o mais cotado para continuar no cargo. Depois dele vem Ivan Júnior, mas há quem diga que esse cairá, porque seu irmão, Sandro Gomes, poderá vir a ocupar a Secretaria de Obras e Serviços Públicos. O médico Ulisses Pereira continua favorito a ocupar a pasta da Saúde, embora Dr. Dimas continue no páreo e tenha dado uma entrevista ao Jornal Marano dizendo que aceita o sacrifício.

O agrônomo Rafael Lima é outro apontado como futuro secretário, contudo ninguém tem certeza ainda do seu posto. Na educação, onde Luiz Carlos já anunciou que deseja colocar alguém de “peso”, o nome mais provável passou a ser o da professora Eliane Simões, presidente da Aesga. Alguns obervadores atentos da movimentação do prefeito eleito passaram a considerar essa hipótese depois que a dirigente da Autarquia Municipal de Ensino enviou uma carta à imprensa local praticamente se despedindo do trabalho na instituição de ensino superior.

Eliane faria falta à Aesga, no entanto nos quadros da autarquia hoje existem pessoas capazes de substituí-la sem que possa ser quebrado o bom trabalho lá realizado. O anúncio do seu nome como secretária de Educação, se vier a ser concretizado, com certeza terá um impacto positivo na comunidade acadêmica, devido à competência demonstrada na administração da Faga. A professora Cristina Alfaya, mulher do juiz Márcio Bastos poderia substituir Eliane na presidência da Aesga, caso esta deixe o cargo. Mas há quem acredite ainda que a atual secretária, Rosemary Régis, pode permanecer no cargo.

A comunicação do governo de Luiz poderá ser feita através do trabalho de três profissionais: Marcelo Jorge, da Free Idéia, que seria o responsável pelo institucional e pelo marketing nas rádios e TV, principalmente. A jornalista Inês Campelo ficaria com a assessoria de imprensa, cuidando do envio de releases e notas às redações, enquanto o fotógrafo Hélder Carvalho administraria a comunicação visual do trabalho do prefeito. Aliás, nessa área temos uma novidade: o prefeito eleito parece ter desistido de extinguir a Secretaria de Comunicação, transformando-a em Assessoria. E sobe a cotação de Carlos Eugênio, que já está formulando os convites para o anúncio da equipe de governo, na próxima quarta-feira.

Outro nome que chegou a ser cogitado para fazer parte do secretariado, o de Jurandir Albuquerque, passou a ser uma incógnita. É que Luiz Carlos já tem definidos no primeiro escalão os nomes de Geni e Carlos Ferraz (mulher e cunhado), além da sobrinha Inês na assessoria de imprensa. Se este último vier a fazer parte da equipe seriam quatro os parentes, numa contradição à crítica do nepotismo feita em cima da administração de Bartolomeu Quidute. É possível, mas improvável, que o novo prefeito trabalhe com um número elevado de parentes.

No próximo dia 22, na sede da CDL, Luiz Carlos deve anunciar oficialmente o seu secretariado. Aí então todo o mistério será desfeito e saberemos então até que ponto as informações colhidas junto a diversas fontes estão certas ou erradas. A não ser que esteja todo mundo cego e o prefeito tenha sido um mestre na arte de jogar pistas erradas, estamos convencidos de que o nosso número de acertos será bem maior do que o de erros.