Garanhuns, 18 de dezembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

Prefeito passa pelo pau do canto

Marcílio Viana Luna


Depois de um longo período de oitoanos à frente da Prefeitura de Garanhuns, o médico dermatologista Silvino Andrade Duarte, um paraibano de Princesa Isabel, deixa a edilidade garanhuense com mérito e polêmica, mas com a certeza do dever cumprido, apesar de alguns erros e omissões. Ninguém duvida que silvino foi um bom prefeito (para a maioria), um edil apenas razoável (para muitos) ou um prefeito ruim (para poucos) e, principalmente, para os mais ferrenhos adversários. Pessoalmente, acho que ele foi um administrador aceitável, muito teimoso, mas honesto e excelente político. Darei nota 6,5, suficiente para passar, ou seja, comprovação de sua boa gestão.

No meu Colégio Diocesano, onde estudei durante toda a minha vida de colegial, a média para passar é 6,0. Com 5,5 por exemplo, o aluno vai para recuperação. Silvino Duarte obtendo 6,5 passa direto para tentar um novo mandato daqui a quatro anos ou uma deputação em 2006. Mesmo sendo pelo pau do canto, como se usa na linguagem colegial, Silvino não fica devendo nada, não precisa de recuperação e é o político mais hábil de Garanhuns. Quem viver verá que o homem de Princesa Isabel teve passado político, é atualmente o maior destaque e assegura o seu futuro com possíveis novas vitórias.

A partir de janeiro próximo, ele terá um novo respaldo à sua boa administração: a investidura no honrado mandato legislativo de sua esposa, Aurora Cristina, na Assembléia Legislativa do Estado, o que por uma questão de Justiça já deveria ter ocorrido. Mas, Aurora Cristina tem tudo para acertar como deputada. Resta comprovar a sua capacidade como parlamentar, sendo apenas testada como secretaria municipal e primeira dama de Garanhuns. Para isso precisa ter idéias, boa assessoria parlamentar e reunir técnicos que conheçam os problemas do Agreste Meridional e do Estado, incluindo também Arcoverde, município de onde ela procede.

Garanhuns precisa e muito de bons representantes. Estamos órfãos a nível federal e ouço ou quase nada a nível estadual. Silvino vai tentar alguma coisa em 2006, mas, a Suíça Pernambucana tem pressa porque se demorar mais ninguém chega à Cidade do Clima Maravilhoso por terra, por causa das péssimas rodovias. Tem que ser de avião, como os poderosos políticos viajam para pedir votos em Garanhuns. Porém, voltando a falar da administração de Silvino Duarte, ele conservou ruas, praças, avenidas e parques, foi um bom síndico. Deixou tudo limpo, calçando e pavimentando várias artérias. Construiu escolas e postos médicos. É admirado por expressiva maioria e teve o respaldo político para eleger o seu sucessor. O resto o futuro dirá...

A grabd flha de Silvino Duarte foi, justamente, em dois setores fundamentais para as tradições de Garanhuns: a cultura e o turismo. O primeiro (a cultura) quase ou totalmente esquecido pelo prefeito, o que foi lamentável e lastimável. Acabou com a nossa Banda de Música (Manoel Rabelo); não cuidou dos nossos monumentos, como por exemplo o Ipiranga, no Alto da Boa Vista; não lutou como deveria ter feito pela recuperação do Grande Hotel e da Colina Monte Sinai, a principal de Garanhuns; não incentivou os grêmios culturais e literários, bem como outras atividades intelectuais. Afinal, cultura não dá voto a ninguém, dizem os seus adversários. Mas, o resgate do Monte Sinai é uma questão de dignidade para Garanhuns, assim como foi o Monte dos Guararapes para Pernambuco e para o Brasil. O Monte Sinai é nosso e é hora da bravura dos garanhuenses ressurgir das cinzas. É uma questão de honra.

Silvino passou e razoavelmente bem. Esse movimento da Câmara de Vereadores de afastá-lo do cargo foi inócuo e inoportuno meramente político e pouco inteligente. Em oito anos de mandato, Silvino Duarte mostrou que é honesto, sua administração fica sem suspeição e ele pode voltar daqui a quatro anos. Mas que teve erros políticos, isso ninguém tem dúvida. A briga desnecessária e até deselegante com o vice Márcio Quirino; as promessas de apoio a pretensos candidatos, como Givaldo Calado, por exemplo; a sua teimosia em não se comunicar com verdadeiros garanhuenses que escrevem para os jornais locais apenas por amor a Garanhuns e para colaborar com uma opinião justa e desinteressada sobre os problemas da cidade.

Finalmente, parabéns ao meu Diocesano, honra e Glória de Garanhuns. Entre 12 mil escolas de todo o Brasil, ficou entre os dez educandários vencedores do prêmio Nestlé de Literatura. O meu eterno diretor e orientador epiritual, Padre Adelmar, deve ter ficado orgulhoso, lá no céu, do seu Colégio que é também de todos nós, principalmente do seu atual diretor, professor Albérico Fernandes Vilela, grande gestor da obra do Gigante da Praça da Monsenhor Adelmar Valença. Vamos ajudar na construção do Ginásio Polivalente, começar a preparar os festejos dos 90 anos em 2005 e fazer com que cada ano as festas sejam melhores, assim como ocorreu em 2004. Peço que o grande arquiteto do universo permita que um dia Garanhuns tenha um turismo planejado, técnico e rentável. Atualmente não tem nada, mas vou continuar, paesar de tudo isso, 100% Garanhuns.