Garanhuns, 4 de dezembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

Quero o meu agora!

Pedro Jorge Valença


Novembro foi pródigo nas homenagens feita ao Padre Adelmar, citado várias vezes pelos jornais de Garanhuns e seu nome escolhido para entronizar a Praça que fica em frente do Colégio Diocesano, que passa a ser Praça Monsenhor Adelmar da Mota Valença . Como ex aluno e membro da família estou sensibilizado. Agora como vou me acostumar a não chamar o Ginásio de O Gigante da Praça da Bandeira ? . A Câmara e o Executivo, não cometeram falta de patriotismo quando promoveram a substituição, o Verde Louro de nossa Flâmula, será sempre lembrado por todos nos, apesar de ultimamente ter se acompanhado de outras flâmulas não honrosas e servido para enrolar gente da pior espécie.

Carlos Wilson, ex aluno da primeira linha, vai propor ao Presidente, colocar o nome do Padre Adelmar, na Universidade Federal Rural de Pernambuco do Agreste,, que se instalará em Garanhuns e conta com o apoio de todas as lideranças de nossa terra .

Isso apagou a falha, ocorrida nas festividades do aniversário do Ginásio no último 12 de 0utubro, quando esqueceram de citar o nome do Padre, forçando a Ulisses Pinto, no final da reunião, se levantar- e gritar :
- Viva o Padre Adelmar da Mota Valença, eterno Diretor do Colégio Diocesano,

Tendo sido acompanhado por uma dúzia de dedicados ex alunos, e recebido um abraço de minha Madrinha a Professora Maria José Ferreira ( Dona Zezinha ). A omissão deve-se a emoção da data As homenagens com placas comemorativas e nomes de logradouros, sofrem o risco de serem desvirtuadas e retiradas por autoridades, os fatos são inúmeros, pois vejamos:
A placa da inauguração da Rodoviária com o nome de Amilcar Valença, foi retirada numa reforma, o nome do Padre Agobar da Mota Valença,, que existia na frente do Colégio Municipal, virou uma faixa de pano, na rua com o nome de minha mãe, foi retirado, nos noticiários, o sobrenome de Valença , virando só Deolinda Silvestre. Os registro são ligados ao signatário.

A Praça Tavares Correia , passou a ser chamado como Relógio de Flores; o Parque Euclides Dourado é Dos Eucaliptos e a Exposição de Animais João Pessoa Guerra , quase vira casa de comercio. Já a Praça João Pessoa é o Brás e a Avenida José Mariano é Rua do Recife,; a Rua Arí Barroso é Beco do Urubu. No Recife a Rua Rocha Pita é o Beco da Merda e a Guimarães Peixoto é Beco da Facada e a Rua da Industria é Beco da Mijada. E em Olinda na Ilha do Maruim está localizada a Praia de Puenta del Chifre. Pessoas que fizeram muito pela nossa terra, foram contemplados com nome de logradouros , mas nada se sabe sobre suas contribuições para o progresso de Garanhuns. Cito alguns , pedindo desculpas antecipadas para as omissões: Deputados Elpídio Branco e José Cardoso; Prefeitos Francisco Figueira e Aluisio Pinto; médicos Luiz Guerra, José Sales e Luiz Lessa, professores Uzai Canuto, Mário Matos e Padre Tarcísio; os religiosos Monsenhor Calou e Dom Jerônimo, dos Bispos só Dom Expedito que foi assassinado, sendo mais cultuado fora de Garanhuns e tantos outros.

Isso só não ocorre na nossa terra, em Gravatá uma " autoridade " retirou o nome do Hospital Virgínia Guerra, porque descobriu depois de mais de 15 anos que a homenageada está viva.

No Recife foi dado o nome de Gregório Bezerra a uma importante Ponte, quando o Capitão Sampaio Xavier, que segundo o Diário de Pernambuco de 28 de novembro de 1935 foi morto, quando estava sentado, pelo então Sargento Gregório Bezerra,, que só é nome de uma rua no Bairro dos Aflitos. O Capitão não teve oportunidade de chegar a General e se tornar um herói como hoje é considerado o revolucionário Gregório. Espero que a esquerda não caia em cima de mim!

Em Serra Talhada vai ser erguida uma estátua do Capitão Virgulino Ferreira o Lampião, que segundo Dr. Audálio Tenório era bandido mesmo e nunca conseguiu entrar na sua Fazenda em Águas Belas, pois era recebido a bala. Depois fez a besteira de fazer as pazes com o Cangaceiro e passou a ser assediado mensalmente com pedidos de alimentação para seu bando.

Um painel de Lampião, devia ser erguido em Serrinha ,hoje Paranatama, retratando sua fuga quando tentou entrar na Cidade e foi recebido a bala.

Em Santana de Ipanema existe uma estátua de um jumento na entrada da Cidade ,estou sabendo que em algumas Cidades foram tentadas homenagens a outro bicho: O Veado, mas até agora estão tramitando sem definição.

O grande perigo de ter seu nome como logradouro é que não e possível escolher os hábitos dos seus habitantes,. No Recife a Rua do Bom Jesus, em Caruaru a Rua do Convento e em Garanhuns a Rua do São Francisco, foram a sede da Zona do Baixo Meretrício.

Confesso que não sei onde fica o Alto Meretrício, pois quando era Oficial do Regimento Guararapes, fizemos uma farra no Cais do Porto e saiu uma briga com um grupo de marinheiros, e todos foram levados para o Gabinete do Coronel , que expressou que não tínhamos pendor para ser Oficiais do Exercito, freqüentando a Zona do Baixo Meretrício,, como eu era desaforado perguntei onde ficava o Alto Meretrício , o resultado foram oito dias de detenção

Hoje eu já sei onde fica e é freqüentado por gente fina que vai vender os seus corpos em troca de um jantar ou por safadeza mesmo . Essa gente é pior que os travestis que ficam na Domingos Ferreira no Recife.

Outro perigo de ser nome logradouro são os noticiários policiais das Rádios:: Preso o Tarado da Rui Barbosa; Morre o estuprador da Cleto Campelo; novo roubo da quadrilha da Santo Antônio.

Assim sou partidário do tema da música cantada por Nelson Gonçalves:

- Quem quiser fazer por mim , que faça agora ou quero o meu em dinheiro...