Garanhuns, 4 de dezembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CULTURA
 

Presidente da Academia faz histórico dos jornais

Secretário-geral da Associação de Imprensa e presidente da Academia de Letras de Garanhuns, o poeta e cronista João Marques fez um verdadeiro registro histórico dos jornais da cidade, por ocasião da posse da AGI. "Os jornais locais, há tempo, têm sido um destaque. Ao lado da água, do clima e da serrania, a nossa imprensa é uma riqueza. Já em 1905 Garanhuns despontava no cenário jornalístico do Estado", disse o acadêmico, lembrando periódicos do município como O Norte Evangélico, O Imparcial, o Sertão, o Bibliófilo e o Monitor, este último lançado em 1931 e o único que subsiste até hoje.

João Marques citou também os nomes de grandes jornalistas e radialistas que nasceram ou estudaram em Garanhuns e depois conseguiram projeção nas grandes cidades, caso de Jodeval Duarte, Ronildo e Waldemir Maia Leite, Manoel Neto Texeira, Fernando Castelão, Baía Filho, Lai, os três últimos atuando no Recife, São Paulo e Rio de Janeiro. "Ao lado de Humberto de Moraes, Ulisses Pinto, Jaime e Marcílio Luna, Ibernon Wanderley, Luís Jardim e Ruber van der Linden são verdadeiros marcos, gigantes da história jornalísitica de Garanhuns", ressaltou o presidente da Academia.

Depois João Marques lembrou a criação da Associação de Imprensa em 1955, citou os primeiros sócios da instituição, a exemplo do professor Uzzai Canuto, Raimundo de Moraes, Mauro Souza Lima, José Amaury Pereira, Arlindo Francisco, Ebenézer Fernandes, Edival Monteiro, Francisco Fernandes e Guido Marcelo e informou como surgiu a idéia de fazer renascer a entidade dos jornalistas e radialistas da cidade.

Por fim, o poeta definiu que "a Associação de Imprensa tem a incumbência de organizar o jornalismo em Garanhuns. A classe, que cresce, numa cidade que se volta como nunca para o futuro, precisa caminhar harmoniosamente com a ética jornalística e com anseio da comunidade de ouvintes e leitores. A AGI tem a responsabilidade de conduzir bem os comunicadores, dando-lhes condições satisfatórias para o seu desempenho. Espera-se que Garanhuns, com a dinâmica da imprensa, possa ir bem informada para decisão de suas metas de progresso".