Garanhuns, 20 de novembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CULTURA
 

DESEJO

Ana Cristina


Saudades de um beijo
Do gosto quente da tua língua
A procura da minha
Num frenesi de paixão.

Tuas mãos pesadas
Nas minhas pequenas
Procurando afagos, carinhos
Cheia de emoção.

Corpos se encontrando
Pernas entrelaçadas
Sussurros no ouvido
Segredos nossos, do nosso ninho de amor.

O tempo pára por um instante.
Desejo, desejo, desejo.
Fogo ardente, queimando por dentro.
Carrossel de emoção.

Posso sentir as batidas frenéticas do teu coração
Sinto apenas o meu corpo abraçado no teu
Nenhum barulho, só o teu respirar
Nenhum cheiro, só o teu suor.

Minha boca cheia d´água posso sentir
Vontade louca, desejo sem fim.
Lágrimas molham o meu rosto
E o êxtase, afinal, posso sentir.



Ana Cristina é médica dermatologista, mas desde adolescente gosta de escrever crônicas e poesias, algumas bem intimistas, como o poema publicado nesta edição do Correio.