Garanhuns, 6 de novembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO POLÍTICO

Roberto Almeida


A DECADÊNCIA DO CORONELISMO

Após o resultado do segundo turno das eleições municipais no Brasil, ficou evidente que o povo está amadurecendo e ficando cada vez mais exigente na escolha dos seus governantes. Nos grandes centros, os resquícios do coronelismo foram praticamente varridos do mapa pelos eleitores, com derrotas de líderes como Jarbas Vasconcelos, José Sarney, Antônio Carlos Magalhães, Aécio Neves e Anthony Garotinho.

Nas capitais e cidades com mais de 200 mil eleitores a população também deu um não ao fisiologismo do PFL e do PMDB, outrora poderosos. A partir de agora esses partidos só vão controlar, juntos, três das capitais do país, contra nove do PT e cinco do PSDB. Esse dois últimos, mais éticos, mais modernos, foram os grandes vitoriosos do pleito deste ano.

O coronelismo urbano ou rural agora sobrevive somente nas pequenas e médias cidades, caso de Capoeiras, Garanhuns, Belo Jardim e até Caruaru. Mas chegará o tempo em que os déspotas ou mistificadores desses municípios também serão derrotados, para o bem do povo e felicidade geral do País. Quem viver verá.


SECRETÁRIO

Bartolomeu pode ser secretário de Luiz Carlos de Oliveira. O leitor não se espante: não se trata de Bartolomeu Quidute, que perdeu a eleição e sim do agropecuarista Antônio Carlos Bartolomeu, cotadíssimo para ser o secretário de Agricultura de Garanhuns a partir de primeiro de janeiro.


CULTURA

O prefeito eleito, Luiz Carlos, disse ao presidente da Academia de Letras de Garanhuns, poeta e cronista João Marques, que no seu governo iria criar a Secretaria de Cultura do Município. O próprio João pode ser uma das opções para o cargo.


JESUS

Jesus Campelo, que foi secretário de Administração no primeiro governo de Silvino, também está cotado para ocupar uma secretaria na administração de Luiz Carlos. O atual assessor da prefeitura foi o primeiro a acreditar no peemedebista, ao escrever um artigo no Correio Sete Colinas intitulado "O Remédio é Luiz".


DESAFETOS

Silvino teve uma bela vitória no dia três de outubro, mas não deixou de aumentar o seu número de desafetos. Logo depois de conhecido o resultado da eleição, Dr. Dimas e Alzira Andrade Lima - dois candidatos que chegaram pertinho da vaga da Câmara - criticaram com palavras duras o atual prefeito. Girlane Lira também não ficou nada satisfeita com o resultado da eleição. A insatisfação dos suplentes passa pelo privilégio que foi dado as candidaturas de Sivaldo e Zé de Vilaço.


GASTOS

E por falar em Sivaldo Albino, o presidente da Câmara, reeleito com expressiva votação na última eleição, nega que em sua campanha tenha gasto cerca de R$ 180 mil, como andaram dizendo aliados do PMDB e PV. Segundo o vereador, não chegaram a R$ 35 mil suas despesas de campanha.


GASTOS II

Sivaldo Albino garante também que o seu colega Zé de Vilaço, que segundo outros candidatos teria gasto mais de R$ 200 mil para ser o vereador mais votado em Garanhuns, também não teve esse dinheiro todo na campanha. "Ele gastou no máximo R$ 50 mil", garante o presidente da Câmara.


DEUS

Silvino ainda não é Deus. Tanto que não conseguiu derrotar todo mundo. Em Miracica a vitória foi de Cláudio Taveira e Bartolomeu, apesar dos esforços do prefeito para derrotá-los. O filho de Luiz Taveira teve mais de 700 votos no distrito, contra 250 de Paulo da Mochila, que teve todo o apoio da máquina para ser o majoritário.


FINANÇAS

O secretário de Finanças de Garanhuns, Hélio Amorim, deve entregar o cargo antes do término do governo de Silvino. Ele e Luiz Carlos de Oliveira não se bicam e o competente auxiliar do prefeito quer sair antes da chegada do novo titular.


FINANÇAS II

O prefeito eleito continua misterioso e não abre o jogo. E só pretende anunciar sua equipe de governo no próximo mês. Mas para o lugar de Hélio Amorim já se especula os nomes de Marcos Régis e Carlos Ferraz. O primeiro foi um dos coordenadores da campanha vitoriosa de Luiz. O segundo, cunhado do homem, tem experiência no setor, na Assembléia Legislativa do Estado e na antiga Fiam.


CONTRA

Satisfeito com a vitória do filho, que vai sucedê-lo na Câmara, o vereador Luiz Taveira (PTB) disse numa conversa com Ivo Amaral que não tem nada contra Luiz Carlos. Sua bronca, e essa não vai passar, é contra o prefeito Silvino.


CÂMARA

O petista Marcelo Marçal não está fechado com a candidatura de Sivaldo Albino para a presidência da Câmara Municipal, conforme nota da última edição. O primeiro vereador do PT de Garanhuns quer ele próprio dirigir a Casa Raimundo de Morais, a partir de janeiro. Segundo garante o presidente do Diretório do Partido dos Trabalhadores, Méviton Araújo, Marcelo hoje estaria mais próximo de um acordo com a bancada que se elegeu apoiando Bartolomeu: Aldemiro, Armando, Cláudio Taveira e Daniel.