Garanhuns, 6 de novembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Dom Moura terá que esperar nova ambulância

Mais uma vez o pedido não foi atendido. Em resposta à solicitação feita pelo deputado Izaías Régis (PTB) para a aquisição de uma nova ambulância para o Hospital Regional Dom Moura, o secretário de saúde do Estado, Guilherme Robalinho, informou que já existe um sistema de remoção funcionando no local e por isso não disponibilizará a unidade móvel. Na indicação de número 3087, de 14 de maio de 2004, Régis enfatiza a necessidade da obtenção do automóvel para o hospital, que hoje conta com três ambulâncias para atender toda a região do Agreste Meridional e por isso estaria sobrecarregada.

No documento de número 1311/04, Robalinho afirma que há dois anos está em funcionamento a Central de Regulação Médica, que controla todos os leitos públicos e privados conveniados ao SUS. Dentro desse sistema estaria a Central de Transferência Inter-hospitalar, responsável pela remoção de pacientes, composta por ambulâncias distribuídas em pontos estratégicos, nos caso os hospitais regionais.

O secretário ainda salienta a futura instalação do SAMU para o Agreste. De acordo com ele, desde dezembro foi enviado projeto ao Ministério da Saúde para implantação da 1ª regional do Samu na IV região de Saúde (Caruaru). O projeto entretanto deverá demorar para chegar até Garanhuns, uma vez que sequer começou a atender a primeira cidade para então ser estendido às demais regiões.

"A aquisição da ambulância iria melhorar e muito a qualidade do atendimento oferecido pelo hospital. De fato existem ambulâncias no Dom Moura, mas a demanda sobrecarrega o serviço, deixando a maioria da população carente das 26 cidades que compõem o Agreste Meridional desatendida. É mais uma vez o cidadão esquecido pelo governo do estado, que pouco se preocupa com a saúde do povo", protesta Régis.