Garanhuns, 6 de novembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Cultura
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Funcionários do Hemocentro fazem greve

Os funcionários do Hemocentro de Garanhuns aderiram esta semana a greve dos funcionários do Hemope, que lutam por melhores salários e o atendimento de outras reivindicações, por parte do governo estadual. Com a paralização, os serviços da unidade local ficaram comprometidas e somente as atividades essenciais estão sendo cumpridas.

Segundo Pedro Passos, funcionário do Hemope e um dos líderes do movimento na cidade, o Governo Jarbas não vem cumprindo acordos firmados com a categoria, daí o recurso extremo da greve. "Infelizmente a administração estadual não tem compromisso com a saúde do povo de Pernambuco", disse o servidor, esta semana, ao ser entrevistado no Jornal da Sete, da FM Sete Colinas.

Além da melhoria dos salários, os funcionários do Hemope reivindicam a realização de concurso público para preechimento de vagas no órgão da área de saúde. Conforme Pedro Passos, o Hemocentro de Garanhuns e outros do interior funcionam com servidores de outras repartições, o que termina por comprometer a qualidades dos serviços e causa prejuízos aos que trabalham na repartição.

O coordenador do Hemocentro, Luiz Amorim, reconheceu que as atividades da unidade local estão comprometidas e disse que só 30% do trabalho pode ser realizado, em função da greve. O responsável pelo órgão deixou claro ainda que as atividades essenciais estão sendo mantidas.