Garanhuns, 23 de outubro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Bairro nobre de Garanhuns é alvo de assaltos

Núbia Kênia


Uma onda crescente de assaltos vem preocupando moradores do bairro de Heliopolis, considerada área nobre da cidade. Só nos últimos dias foram três assaltos a residências, dois deles na rua Idelfonso Lopes, mas precisamente próximo a casa do ex- prefeito Bartolomeu Quidute. Os bandidos armados até com armas de grosso calibre, agem sempre no período da noite, em grupos de dois ou três, abordando vítimas, entrando em suas residências e roubando jóias, dinheiro, eletrodomésticos e veículos, entre outros pertences. Mesmo assim, com alguma semelhanças na forma de praticar os assaltos, a polícia acredita que sejam grupos distintos, vindos na maioria das vezes da periferia da cidade, segundo as primeiras investigações. "Estamos em diligencias diariamente para identificar os assaltantes, e já temos alguns suspeitos, mas não podemos revelar o nome para não atrapalhar o andamento dos inquéritos. Apenas podemos adiantar que os bandos são formados por pessoas aqui de Garanhuns", revela o comissário da 2ª Delegacia de Policia, Aluízio Neves.

Uma das vítimas desse tipo de investida foi a advogada e ex- secretária de Turismo de Garanhuns, Ielma Lucena, que no dia 21 de setembro, foi abordada em sua residência, situada na rua Idelfonso Lopes, e sob a mira de um rifle escopeta, foi ameaçada de morte e teve vários objetos roubados, inclusive um veículo Saveiro ano 2004. "Não calculei o prejuízo material, porque o que tem valor é a vida minha e de meu marido que foi preservada. Infelizmente vivemos um clima de insegurança. O Estado exige que paguemos nossos impostos em dia, senão seremos penalizados, na forma da Lei, mas não cumpri com sua responsabilidade, que é nos dá a segurança para vivermos em paz", desabafa Dra Ielma.

Em seu depoimento, a advogada conta estava em casa sozinha com o marido, que se encontra acometido por problemas de saúde, quando foi atender a campanhia. "À noite, não costumo abri o portão, sem que a pessoa seja identificada, mas como não entendi o que falavam no interfone, sai para o jardim, foi quando fui surpreendida por três homens encapuzados, que haviam pulado o muro, e com uma arma apontada para minha cabeça, cobriram meu rosto, entraram em minha residência e vasculharam tudo, usando meu carro para transportar todos os objetos que consideraram de valor", explica. No outro dia, o veículo foi abandonado na Cohab II, faltando pneus, sons e bancos.

Outra vítima de assalto na rua Idelfonso Lopes, Heliopolis, foi o sargento reformado de exercito, José de Melo Filho, mais conhecido como sargento Melo. Segundo a polícia, quatro dias depois do assalto na casa de Dra Ielma, sua casa foi invadida e roubado do cofre a quantia de 46 mil. No momento do roubo, não havia ninguém em casa. A policia acredita que alguém que conhecia a casa da vítima facilitou a entrada dos bandidos.
SEQUESTRO - Além de assaltos, alguns seqüestros relâmpagos, a maioria não informados a polícia, vem ocorrendo em Garanhuns. Um dos casos mais complicados é do comerciante e agiota José Pedro da Silva Irmão, que foi arrastado por três homens, ainda não identificados, no último dia 14, no bairro do Indiano, por volta das 18:40 horas, próximo ao campo do Sete de Setembro. Segundo informações obtidas por sua esposa, Maria José Gomes, seu marido teria recebido um telefona pedindo que ele fosse para a casa de um senhor conhecido por "Zé do Bolo", onde fariam uma prestação de contas. Depois de acertar o negócio, a vítima sairia para pegar o carro, que estava há cerca de 25 metros da residência de Zé do Bolo, quando foi agarrado por três homens, que o teriam arrastado até o carro. "De lá pra cá não tivemos notícia do meu marido. Por favor, quem souber o seu paradeiro ligue para (87) 3762 3414, minha residência, ou para (87) 3762 1124, 2ª Delegacia de Polícia", apela Maria José.