Garanhuns, 9 de outubro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura / Diversão
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO DOS BICHOS

Bruno Neves Wanderley


O aumento da população animal e a adequada conscientização da população sobre a necessidade do correto controle de natalidade em animais domésticos vem se tornando, junto com a apreensão, a castração e a adoção supervisionada como recursos de primeira escolha para diminuirmos o risco das zoonoses evitando-se assim o sacrifício dos animais apreendidos. Em diversos Municípios já existem, nos Centros de Controle de Zoonoses, centros cirúrgicos, onde são realizadas exclusivamente cirurgias de esterilização, tanto de machos como de fêmeas, mediante programa especial, para a população carente e os animais apreendidos. Cabe lembrar que esta cirurgia, além de tudo é indicada como tratamento usual para muitas das afecções ovarianas, uterinas, mamárias e prostáticas também é indicada para a prevenção de recidiva de hiperplasia de vagina e tumor mamário, bem como para animais diabéticos ou epilépticos, para que sejam evitadas as alterações hormonais capazes de interferir na terapêutica.

A partir do momento em que o homem domesticou o cão e o gato tornou-se responsável por alimentá-lo, supervisioná-lo e, inclusive, interferir em sua capacidade reprodutiva através da esterilização, evitando assim a superpopulação e a disseminação de doenças.

Somente através da mudança da política de Saúde Pública é que conseguiremos evitar que muitos cães e gatos sejam sacrificados em nosso Município, pois não importa a gravidade da doença. Pode ser Raiva, doença mortal, ou uma simples dermatite, qualquer uma é motivo para sacrifício de animais dentro da política atual. Vivemos em uma ditadura onde os sanitaristas têm "poder de polícia" e nós temos que assistir aos abusos praticados contra os animais em nome da Saúde Pública.

Saúde se faz com educação, saneamento básico, respeito ao Meio Ambiente, erradicação da miséria. E diremos NÃO a políticos que não respeitam os animais e a Natureza.

Nosso País atravessa graves problemas sociais e o tema proteção e bem estar animal é encarado com certo preconceito. O que muitos governantes não perceberam é que mudou o perfil das pessoas que lutam pelos Direitos dos Animais. O defensor de animais não é mais aquele que fica chorando pelo que esta acontecendo, mas é aquele que se informa, pesquisa e vai à luta, apresentando sugestões e trabalhando não só em defesa do animal, mas também sendo um colaborador, quando permitido, dos órgãos de Saúde Pública.

Não queremos uma política de Saúde Pública que pratique captura e extermínio de animais e sim que seja trabalhada a raiz do problema: depredação do Meio Ambiente, que favorece a adaptação dos vetores, saneamento, inspeção e vigilância sanitária, e no caso da superpopulação de cães e gatos, queremos educação da população por meio de aulas contínuas em escolas publicas, campanhas educacionais nos bairros, posse responsável, esterilização e adoção supervisionada.

Chega de sacrifício de cães e gatos em nome da Saúde Pública, pois um bom número de zoonoses são transmitidas por animais que servem de alimento ao homem e as estatísticas mostram que 60% da carne consumida neste país não é inspecionada, isto sim deveria preocupar nossas autoridades sanitárias.

Queremos um Centros de Controle de Zoonoses que não pratique a captura e o extermínio de cães e gatos pois a realidade dos grandes centros diferem dos pequenos e devem ser tratados de maneira diferenciada.


Projeto ADOCÃO.
ADOTE UM CÃO OU UM GATO

Se você pretende ter um animal de estimação, precisa pensar em pontos fundamentais. Relacionamos algumas considerações para quem pretende colocar mais um membro na família, lembrando sempre o que diz um dos tópicos da "Declaração Universal dos Direitos dos Animais":

"O Animal que o homem escolher como companheiro nunca deverá ser abandonado".

Cães e Gatos vivem em média 12 anos. Portanto, se você e sua família costumam viajar para lugares onde não se pode levar animais melhor não comprar ou adotar, a menos que possam contar com pessoas próximas no convívio para que cuidem do animal na sua ausência. Em último caso, claro que é melhor deixa-lo em hotel, mas certifique-se de que seu animal não ficará confinado.

Cães sentem tristeza assim como os humanos, principalmente quando estão sozinhos. Se você trabalha fora o dia todo e quer um animal para lhe fazer companhia, o gato é o ideal, pois ele é mais auto suficiente, embora também se apegue ao dono. Gatos dormem muitas horas, portanto se adaptam melhor à ausência do dono. Muitas pessoas dizem que o gato gosta da casa mais que do dono. Isso não é verdade.

O ideal é ter sempre mais de um animal, pois um faz companhia para o outro, brincam e não ficam tão dependentes emocionalmente dos donos como ficariam se estivessem sozinhos. Se você optar mesmo por um cão, pense em adotar dois de uma vez. Cães e gatos são animais muito sociáveis e tendo outro da mesma espécie no convívio, eles se sentem mais seguros e menos depressivos. A opção cão e gato também é possível. Cães e gatos podem se tornar grandes companheiros.

Se você mora em apartamento não pense que não pode ter um animal de estimação. A Lei garante a todo o cidadão o direito de ter o animal que escolher para ser seu companheiro, desde que o mesmo não cause prejuízo para os vizinhos. Procure adotar um gato ou um cão adulto, que se adaptam mais facilmente. Converse antes com o síndico e faça um acordo amigável com ele.

Cuidado com o impulso de comprar animais. Inúmeros cães de raça são comprados para serem dados de presente e depois abandonados, quando adoecem ou a família resolve viajar e não tem com quem deixá-los.

A Posse responsável começa no ato da COMPRA ou da ADOÇÃO. Se disseram pra você que só os animais de raça são bons companheiros não acredite. O famoso "vira-lata" ou SRD (sem raça definida) é o cão mais versátil que há, além do mais saudável também.

Se o seu filho quer um cão ou um gatinho mas ele ainda é muito pequeno para entender que animais precisam de muita dedicação e atenção, dê a ele um animal de pelúcia, até que ele esteja maduro para se responsabilizar pelo animal.

Adote um animal adulto. Há inúmeras vantagens, principalmente se for um cão ou gato abandonado. Esses animais ficam tão estressados por terem que viver nas ruas, vítimas de todos os tipos de crueldades, que quando encontram "um lar" tornam-se gratos pelo resto de suas vidas. Animais adotados quando adultos fazem de tudo para agradar, além disto eles são menos sujeitos a doenças, mais comuns em filhotes.

Cuidados veterinários também custam dinheiro e você precisa pensar se vai ter condições de dar assistência ao seu animal quando necessário. Vacinação é tão imprescindível quanto a necessidade de esterilização do cão ou gato que você pretende adquirir.

Se você leu tudo o que está escrito nesta página, provavelmente está mesmo pensando em adotar um mascote. Procure-nos temos diversos animais precisando de uma casa, comida e dos seus cuidados. Você então terá um amigo de verdade e o privilégio de ser amado incondicionalmente.

* Estaremos disponibilizando no correio animal uma seção de classificados, onde você poderá anunciar a venda de animais, procurar animais para cruzamentos, anunciar animais para adoção e tudo mais. Ligue e anuncie através dos telefones 3763.6471/9115.4768.

Um abraço para todos os colaboradores e leitores do correio dos bichos e até a próxima edição...