Garanhuns, 9 de outubro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura / Diversão
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

COLUNA DE ULISSES

Ulisses Pinto


ACERTO - Através de três jornais daqui, publicados em fins de setembro, escrevemos que o quadro sucessório para prefeito seria como aconteceu: Luiz, Bartolomeu, Alexandre, Givaldo e Paulo, o único garanhuense.


VITORIOSOS - Desta coluna, enviamos os sinceros cumprimentos aos vencedores do pleito eleitoral passado: Garanhuns, Luiz Carlos de Oliveira. Palmeirina, Eudson Catão Ferreira. Caetés, Zé da Luz (reeleito). Correntes, Ronaldo Amaral. Lagoa do Ouro, Marquidoves. São Bento do Una, Padre Aldo. Teresinha, Izaú Gomes (reeleito). Belo Jardim, João Mendonça (reeleito). Caruaru, Tony Gel (reeleito). Floresta, Afonso Ferraz.

A todos os eleitos e reeleitos os nossos efusivos cumprimentos.


PREFEITO SILVINO - Após a estupenda vitória do seu candidato a prefeito Luiz Carlos da farmácia, o Dr. Silvino de Andrade Duarte, na noite do dia 3, no Comitê político da chapa Luiz-Almir Penaforte, ele congratulou-se com o povo de Garanhuns pela vitória do "trabalho", da dignidade contra alguns dos seus adversários que só sabiam denegrir sua imagem. O eleitorado, foi sábio e soube escolher os melhores para dirigir os destinos desta grande terra.

Falou também sobre um vereador, dizendo: "o sr. Cacau já foi julgado pela grande maioria dos votantes. Em face disso amanhã (dia 4), irei pedir ao advogado da prefeitura para retirar as ações contra o mesmo.

Disse também que se Deus quiser e o eleitorado, vai sair candidato no pleito de 2006, a deputado federal. Palavras do prefeito diante de umas 5 mil pessoas na Praça Souto Filho. Discursaram também os vitoriosos Luiz Carlos e Almir Penaforte, agradecendo ao povo deste município, aos vereadores eleitos e não eleitos, dos grandes aliados, líderes partidários, militância de ambos os sexos.


IVO AMARAL - Entrevistado pela sua emissora Sete Colinas, Ivo Amaral, o qual foi vereador, vice-prefeito, prefeito (2), deputado (2) e que liderou uma parcela política, por sinal vitoriosa, o mesmo afirmou que o prefeito Silvino Duarte, está de parabéns duas vezes: a primeira por ter escolhido um homem honrado, sério, simples e que não era político. Afirmou que Luiz carlos foi o venerável da Loja Maçônica em várias ocasiões, presidente do CDL, criou e fundou a creche Marta Abreu, na localidade de Manoel Cheu, Profº de Colégio de Garanhuns e hoje, farmacêutico.

Quanto a segunda vitória foi do eleitorado livre, independente, conservador que fez do prefeito Silvino Duarte, em duas administrações, um ótimo administrador.


JOÃO PAULO - O novo prefeito João Paulo (reeleito), do Recife, disse: "Não agredimos ninguém. Não fomos disputar na lama a disputa política. Apostamos na política, nas idéias e acho que a população aprovou". Isto após ter conhecimento a eleição no primeiro turno, com a sua vitória.


JARBAS - "Perdemos no Recife, o que não foi nenhuma novidade porque a população fez a opção pela manutenção do atual prefeito. Ganhamos no estado.

Na verdade, o governador Jarbas Vasconcelos saiu vitorioso em 129 prefeituras dos 184 municípios, segundo o Jornal do Commercio do dia 5 do corrente mês. Eis o quadro: Bloco governista: PFL, 42 prefeituras. PMDB, 41. PSDB, 26. PPS, 11. PP, 4. E PSDC, 4. Bloco das oposições: PT, 8. PSB, 12 e PC do B, 3 prefeituras. Bloco trabalhista: PTB, 13 e PDT, 7.

Com as últimas eleições, o caminho dos comandados do deputado federal Armando Monteiro Neto, no nosso parecer é o seguinte: dar apoio ao nome do vitorioso prefeito da cidade do Recife, provavelmente candidato ao governo do estado e para vice-governador, um nome do bloco trabalhista. A terceira via, em 2006, não irá existir. Vai haver sim, a luta entre Jarbas e seus comandados contra o bloco do Partido dos Trabalhadores, capitaneados por João Paulo. Entretanto, o senador Sérgio Guerra, também sonha com o Palácio Joaquim Nabuco. A preferência do governador Jarbas, está no nome do atual vice, Mendonça Filho. Se não houver um acordo, o nome de Marco Maciel, poderá unir das duas alas. Entretanto, muitas águas irão rolar, inclusive a próxima reforma eleitoral, atualmente no congresso.