Garanhuns, 25 de setembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Diversão
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
POLÍTICA
 

PT luta para chegar à Câmara

O Partido dos Trabalhadores, PT, que hoje ocupa governos importantes no estados e nas capitais, não conseguiu até hoje eleger pelo menos um vereador em Garanhuns. Este ano, fortalecido pela candidatura do promotor Alexandre Bezerra, o partido do presidente Lula tem boas chances de emplacar um ou dois representantes no Legislativo Municipal.

Na chapa proporcional do PT, coligada com o PL, o PSB e o PRP, existem bons candidatos e pelas contas que estão sendo feitas na cidade pelo menos 10 deles devem atingir votação superior a 500 votos, cada um. Só aí praticamente seria atingido o quórum mínimo para eleger um vereador.

Dentre os candidatos do Partido dos Trabalhadores que aparecem bens cotados, aparecem o líder bancário Marcelo Marçal, o funcionário do Hemope Pedro Passos, o advogado José Ivan, a professora Maria do Carmo, a Carminha, os trabalhadores e petistas históricos Ivaldo Bispo e Eraldo Ferreira, além do poeta popular Messias Adriano. Além destes, devem ser bem votados na coligação o pastor Bruno Sharon, do PL, e o soldado Gabriel, do PRP.

"Estou certo de que dessa vez o PT terá um ou dois representantes na Câmara Municipal de Garanhuns, e eu espero ser um deles pois estou trabalhando pra isso", declara Marcelo Marçal, que trabalha junto ao colegas bancários, em setores da igreja e no meio dos familiares para tentar assegurar uma vaga na Casa Raimundo de Morais.

APOIO - O engenheiro Marcílio Luna Filho, que tem como pai o jornalista Marcílio Luna, está dividindo seu tempo entre Recife e Garanhuns. Aqui na cidade, dá uma força na campanha do petista Alexandre Bezerra. Marcílio pai, ao contrário, prefere não dizer qual o candidato de sua preferência. "Espero que vença o melhor para Garanhuns", justifica o profissional, colaborador do Correio Sete Colinas.