Garanhuns, 25 de setembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Diversão
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

HUMOR

Raulzito


Lula toma uma e Garanhuns ganha universidade

O presidente Lula é um arretado e eu sempre acreditei nele. Primeiro porque ele é da Várzea Comprida, lá no Caetano, que antigamente era Garanhuns. Depois porque ele já foi pau de arara, engraxate, operário da Volks e parou o Brasil, nos anos 80, fazendo greves. Gosto de Lulinha paz e amor, ainda, porque ele usa barba e é rouco feito um bode.

Tem mais motivos pra eu gostar de Lula: é persistente e tanto perdeu eleições que acabou ganhando uma. Gosta de charutos cubanos e de uma boa pinga nordestina, de preferência Pitú, lá de Vitória de Santo Antão.

Se eu já gostava do líder petista antes dele se tornar presidente, imagina agora que o mesmo está governando esta joça com muito mais competência do que o poliglota do Fernando Henrique. O sapo barbudo está se saindo tão bem que se brincar o companheiro João Paulo ganha a eleição no Recife ainda no primeiro turno e, em São Paulo, a Martaxa Suplicy ganha da careca do Serra, sepultando aquele defunto triste pra sempre.

Pra completar minha paixão pelo Luiz Inácio, ex-menino buchudo lá do Caetano, o homem agora resolveu se lembrar de Garanhuns, mesmo tendo saído daqui com sete anos de idade, tangido pela fome.

Na cidade de Recifílis, a venérea brasileira, depois de ter tomado uísque com 51, acompanhado do centenário Miguel Arráia, Lula virou-se na gota serena e anunciou uma obra mais importante do que a urbanização de Brasília Teimosa, o bairro da capital que está derrotando Cadoca, o Clóvis Bornay da política pernambucana.

O presidente disse que a partir do próximo ano Garanhuns terá a Universidade Federal e a Universidade Rural de Pernambuco, com os cursos de Zootecnia, Veterinária e Agronomia. E depois outros mais virão. O pessoal do Recife não gostou, os moradores de Caruaru ficaram morrendo de inveja, porque lá eles não têm Lula, só Tony Gel (isso lá é nome de gente), mas sua excelência é mais duro de que Figueiredo - aquele presidente do "prendo e arrebento" - e sustentou que sua terra terá sim um monte de faculdades para dar o que fazer aos jovens babacas e não babacas de todo Agreste Meridional.

Um negócio porreta, esse anunciado pelo presidente. Um negócio tão bom que deixou a cidade em alvoroço, principalmente os políticos. Também pudera, essa universidade em Garanhuns vale mais do que um bocado de indústrias, supera cada milímetro de pedra portuguesa colocada por Sirvino no pólo Heliópolis, na Avenida Rui Barbosa, no Guadalajara e tudo indica que agora até na Praça da Bandeira. O prefeito de Garanhuns obrou muito, nesses oito anos, mas com certeza essa obrada de Lula supera tudo.

Entusiasmado com o negócio, Izaías Régua depressa deu 300 mil entrevistas nas emissoras de rádio da cidade, lembrando que foi ele, junto com Armando Pinto do Monteiro e Bartolomeu Quichute e mais uma porção de maria vai com as outras que entregou a sua execelência, desde o ano passado, uma carta de boas intenções pedindo a tal de universidade.

Nos jornais da capital o deputado Fernando é Ferro e o ministro Eduardo Campos Precatório também disseram ter lutado pelos cursos universitários para Garanhuns.

Só Sirvino é que não reivindicou a paternidade do projeto. Mas ele que já foi do PFL, do PSB e que agora é do PMDB, no próximo ano vai se filiar ao PT e aí poderá também dizer que foi o responsável pela conquista dos cursos.

O certo mesmo é que o município agora vai ter uma universidade de verdade. A partir de 2005, quem quiser estuda no curso de direito da Faga, pagando apenas R$ 399,00 de mensalidade. Segundo a professora Eliane Solimões lá tá assim de alunos do Indiano, da Várzea e do Manoel Chéu. Mas quem não tiver vocação pra advogado ou juiz, irá estudar de graça nos cursos da Federal. Fazendo Veterinária poderá cuidar de merda de vaca, frequentando as aulas de Zootecnia saberá como é a mijada do gato e se formando em Agronomia terá a capacidade de distinquir um pé da alface de uma rodela de beterraba ou cebola.

Aqui prá nós, acho que Garanhuns ganhou esses cursos não por causa de Fernando de Ferro ou do Eduardo Precatório Campos. Acho que o pai da coisa foi mesmo Izaías Régua, que quando foi a Brasilia, o ano passado, ganhou Lula no papo com aquela falação toda e ainda presentou sua Excelência com 51 litros de Pitú, engarrafadas no antigo depósito da Mucuri, lá em Canhotinho. Sabido esse deputado que fala demais, hein?

Valeu presidente Lula.