Garanhuns, 25 de setembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Diversão
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO CULTURAL

Carlos Janduy


Jogos Escolares do Agreste Meridional

Foram realizados no período de 09 a 20 de setembro os XXXVI Jogos Escolares do Agreste Meridional, que tiveram a Coordenação Geral do Prof. Moacyr Evangelista Santos (GERE).

Os cinco primeiros colocados no quadro geral de medalhas foram:

1º Lugar - Colégio Diocesano de Garanhuns (39 de Ouro e 16 de Prata);

2º Lugar - Colégio Monsenhor Adelmar (24 de Ouro e 08 de Prata);

3º Lugar - Escola José Brasileiro Vila Nova (19 de Ouro e 08 de Prata);
4º Lugar - Colégio Santa Joana D`Arc (11 de Ouro e 07 de Prata);
5º Lugar - Escola João Cabral - Brejão (09 de Ouro e 07 de Prata).


Aluna do Diocesano destaca-se em Concurso Nacional

A aluna Emmanuella Dyjanê Araújo Teodósio, da 3ª série do Ensino Médio do Colégio Diocesano de Garanhuns, foi classificada em 2º lugar no Concurso Nacional do DENATRAN, sobre o tema "Educação para o Trânsito". A sua redação se destacou pelo ineditismo como o assunto foi abordado, a excelente composição gramatical e a profundidade do conteúdo.
A jovem esteve em Brasília-DF no último dia 22, onde recebeu, em solenidade realizada no Memorial JK, a sua premiação, sendo a única aluna de todo interior do Nordeste a ser homenageada.

Esse é o 3º prêmio, na área cultural, que o Colégio Diocesano recebe nos últimos anos; dois deles foram conquistados por Marília Jackelyne: 1º lugar no 29º Concurso Internacional de Redação Epistolar Para Jovens 2000, promovido pelos Correios e Governo Federal, e 1º lugar no 2º Prêmio Manoel Cerqueira Leite de Poesias, promovido pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esportes e Turismo de Itapetinga-SP.

Parabéns à Emmanuelle, à Profª Mônica Pereira, que a acompanhou na execução do trabalho, a todos que fazem o Diocesano, onde a mesma estuda desde o Curso Infantil, e a toda cidade de Garanhuns, que vê em destaque nacional mais um dos seus filhos.

Leia, a seguir, o belo trabalho da Emmanuelle Dyjanê:


RECEITA PARA MELHORAR A CONVIVÊNCIA NO TRÂNSITO

"Quando se mora em uma grande cidade, deve-se saber que trânsito é sinônimo de desordem e violência; aliás a população pode até traçar um paralelo entre o trânsito e as condições gerais do país. Nele está refletido o individualismo, a falta de orientação, a ausência total de respeito ao outro, o desrespeito absurdo às leis e às normas de segurança. Ou seja, o trânsito é o reflexo de um povo que está totalmente desgovernado. Em países onde a noção de cidadania é clara e primordial, e por isso tornaram-se países de primeiro mundo, o pedestre é o primeiro a ser respeitado.

A partir do momento em que se põe o pé num lugar desses sente-se até uma estranheza, a diferença de tratamento que se recebe dos motoristas de carros, táxis, ônibus e bicicletas. O pedestre está em primeiro lugar, é ele quem recebe passagem do motorista e não o contrário como acontece em muitas cidades de trânsito violento, que praticamente passam por cima das pessoas, fazendo estes correrem para atravessar as ruas.

Está certo que lá (nesses outros países) o pedestre também sabe cumprir seus deveres. Praticamente não se vê ninguém atravessando fora das faixas nem entre os veículos. O brasileiro comete este deslize não porque quer, mas porque realmente não recebeu educação adequada em relação a isso. O cidadão do Brasil passou a tratar o outro e a sociedade em que vive da mesma maneira como tem sido tratado por muitos e muitos anos: com descaso.

Hoje em dia é um gesto automático e espontâneo desrespeitar o outro e tudo aquilo que seja sinônimo de civilidade que dá até pra se pensar que as pessoas não têm mais noção da maneira como estão agindo, as atitudes são inconscientes. Uma forma de identificar essa ausência de parâmetros e de limites é justamente observar como o trânsito se comporta. Não tem cabimento o automóvel representar o mesmo perigo que uma arma de fogo representa para o pedestre.

O motorista do carro não deveria se sentir poderoso só porque dirige uma máquina; os motoristas de veículos maiores e mais imponentes como pick-ups, rangers, ônibus e caminhões não têm o direito de exibir essa força através do tamanho de seus veículos. As pessoas têm que parar de usar carros e motos como uma ameaça ao outro; e além dessa ameaça, motoristas e pedestres são atacados por armas de fogo que são portadas por algumas pessoas que dirigem.

Isto é absolutamente cruel, desumano, é um atestado de regressão. Mesmo que alguns homens morem em uma cidade pequena, onde essa violência ainda não faz parte do cenário, devem se conscientizar o quanto antes, pois, essa cidade vai crescer e é bem legal que este tipo de consciência seja instalada entre todos que nela habitam para que o mal não tenha que ser sanado quando a doença já integrar o cotidiano da cidade.

Se a população não agir, nunca terá nada e jamais será tratada como deve e merece. Um grande passo para essa transformação humana é a união, unir-se aos demais e cobrar essa melhora já é uma ação, e mudar a forma como se comportam é outra, bastante eficaz. Para que todas as pessoas tenham melhores condições de vida, elas devem cobrar dos órgãos oficiais tudo aquilo que é necessário para se obter um adequado planejamento urbano, como por exemplo: exigindo guias rebaixadas, banheiros públicos apropriados e locais dignos nos transportes públicos.

O que não se deve fazer é viver adaptando dia-a-dia com o pouco que oferecem; não se habituar com a carência, com a escassez de recursos. Essa acomodação é bastante perigosa, porque o ser humano tem uma tremenda capacidade de adaptar-se a todo tipo de situação e muitas vezes acostuma-se a ter e a merecer pouco. Quando algumas dessas reivindicações demorarem muito a serem atendidas, devem unir-se com toda comunidade para que possam fazer algo por suas próprias condições de vida".


Radialista Roberto Sampaio

Roberto Rosseline Bezerra Sampaio completará no dia 1º de outubro, 30 anos de rádio. Iniciou sua carreira na Jornal do Comércio, antiga Difusora, em 1974. Em 1985 foi para a Marano FM, onde trabalhou até o ano de 1989. Voltou para a Rádio Jornal em 1990, onde atualmente é o principal noticiarista da emissora e apresentador dos programas "Eu, Você e o Rei" e "Forrozão da Jornal", que vão ao ar de segunda à sexta, respectivamente, das 16 às 17 horas e das 17 às 18 horas. Atua também na seqüência Primeira Página, do programa Super Manhã, comandado pelo jovem competente Eduardo Peixoto.

Segundo Carlinhos, um dos funcionários da Rádio Jornal, Roberto Sampaio é uma significativa referência para os seus colegas radialistas, pois sua grande experiência, adquirida durante todo esse tempo, o credencia a ser um grande professor em sua área.

Parabéns, Roberto Sampaio, pelos 30 anos dedicados à radiofonia. Indubitavelmente, você faz parte da nobre galeria dos comunicadores que escreveram e escrevem com sua voz, a importante história do Rádio de Garanhuns e região.


Rocir Santiago está de volta à FM Sete Colinas

O radialista, humorista e poeta Rocir Santiago volta a produzir e apresentar o programa "Balcão de Bodega", na FM Sete Colinas. No próximo dia 04, o grande comunicador estará levando ao ar muito entretenimento, com sua comunicação inteligente e alegre nos finais de tarde da Sete. Em conversa bastante descontraída, Rocir falou a este colunista sobre a nova cara do programa e o que é estar voltando a trabalhar na Sete Colinas:

"O programa, embora mantendo sua principais características de entretenimento (piadas, sátiras, poesias matutas, etc), muda em dois aspectos: a seleção musical não vai se prender apenas a forró, e as piadas e causos que, na maioria das vezes serão apresentados em forma de esquetes, ou seja, montados como quadros de programas de humor de rádio e televisão. Abrirei espaço para que ouvintes contem suas piadas, mas isto é um material de rua, previamente gravado e avaliado. Além, é claro, da implantação de novas personagens.

Voltar para a FM Sete Colinas, depois de Ter tentado sair na expectativa de melhoria de estágio profissional, foi, acima de tudo, uma enorme lição de vida. É aquela história: "se você vai muito bem de vida e ainda quer melhorar mais, corre o risco de se envenenar com os medicamentos". Jonas Lira percebeu que eu estava intoxicado e me propôs a volta, no que o diretor-presidente da Rádio, Ivo Amaral, aceitou de pronto. Aliás, é extremamente oportuno eu dizer que, além da gratidão à família da Sete, tenho por Ivo Amaral, hoje, a maior referência de amizade, em minha vida. Só posso pagar sua atenção para comigo, fazendo o melhor para a "minha", por que não?, FM Sete Colinas.


Pensamento Banal

"É quase impossível escolher bem um produto que está numa prateleira muito baixa e tão misturado quanto água e açúcar".
(Carlos Janduy)