Garanhuns, 25 de setembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Diversão
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Ivo foi um dos pioneiros na luta pela universidade

Se o deputado estadual Izaías Régis, com a carta de intenções entregue ao presidente Lula, no início de 2003, merece um crédito importante na conquista do pólo universitário de Garanhuns, não se pode esquecer os pioneiros na luta pela interiorização do ensino superior, de modo a beneficiar nosso município. O primeiro a levantar esta bandeira, na verdade, foi o bispo Dom Milton Pereira, que já em 1971 começava a luta pela educação superior na Suíça Pernambucana, obtendo na ocasião o apoio do então prefeito Amílcar da Mota Valença e do vice-prefeito Ivo Tinô do Amaral.

Posteriormente, como prefeito e como deputado, Ivo Amaral faria todo esforço possível para conseguir transferir a Universidade Federal Rural de Pernambuco do Recife para Garanhuns. Obteve apoios impor-tantes, inclusive da deputada federal Cristina Tavares, que era da oposição, mas os interesses dos professores e técnicos da UFRPE derrotaram o desejo da população local e a instituição de ensino superior continuou na capital.

No dia 19 de junho de 1984, Ivo apresentou na Assembléia Legislativa do Estado uma proposta de transferência da Universidade Rural para Garanhuns. A solicitação foi enviada ao presidente João Batista Figueiredo, à ministra de Educação, Esther de Figueiredo Ferraz e ao reitor da UFRPE, professor Valdecy Pinto. Ao justificar o seu projeto, o então deputado destacou as poten-cialidades da região do Agreste Meridional e lembrou que todas as faculdades de veterinária e agronomia do país, à exceção das de Pernam-buco, estão localizadas no interior.

Num pronuncia-mento realizado da tribuna do Legislativo Estadual, em 11 de junho de 1985, Ivo Amaral voltava à carga, defendendo a transferência da Universidade Rural para Garanhuns e indicando inclusive um local para o seu funcionamento. "Por sua localização em terreno fértil e pela abundância d´água da melhor qualidade, escolheria a Fazenda Santa Rosa, no distrito de Iratama, a poucos quilômetros do centro da cidade, onde atualmente existe o aprendizado agrícola. Nesse local, com uma reforma e ampliação, poderiam ser instalados os cursos de Agronomia, Veterinária e Zootecnia", defendeu o então parlamentar.