Garanhuns, 11 de setembro de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura / Diversão
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
CIDADE
 

Escola de música de Garanhuns abre inscrições para curso de artes plásticas

Depois da música, o Centro de Artes Armando de Queirós Monteiro abre espaço para a pintura. A escola agora está promovendo curso de iniciação a artes plásticas destinado a pessoas a partir dos 12 anos de idade. Durante quatro meses os alunos poderão descobrir as técnicas da pintura em telas em aulas semanais com duração de quatro horas, no período da tarde. A primeira turma teve início em 25 de agosto, a próxima tem vaga para 12 alunos. O início das aulas deve acontecer assim que a turma estiver fechada.

As aulas estarão sob o comando da professora e artista plástica Carmem Cleide, que também ensina no Senac. No currículo do curso estão incluídas as técnicas de Esboço, Escolha das cores, Primeiras pinceladas, Misturas químicas, Natureza morta, Floral, Paisagens com água, Paisagens com vegetação e Casarios. Os inte-ressados podem se inscrever no prédio da escola, na Avenida Rui Barbosa, 749, ao lado da Igreja Presbiteriana de Heliópolis, Garanhuns. A taxa de matrícula e as mensalidades custam R$30,00 cada. Mais informações pelo telefone: 87 3762-3312.

Música - Com apenas sete meses de funcionamento, o Centro de Artes Armando de Queiros Monteiro vem atraindo cada vez mais pessoas interessadas em aprender um instru-mento musical. A única no interior do Estado tem capacidade para atender 400 estudantes de música a cada semestre, 800 por ano. A estrutura conta com oitenta instrumentos musicais, três salas acústicas e 24 professores, todos do Agreste Meridional com especialização no Con-servatório de Música de Pernambuco e até nos Estados Unidos.

Hoje a escola conta com 207 alunos divididos em três turnos. Os cursos oferecidos são de acordeom, bandolim, bateria, cavaquinho, clarinete, flauta doce e transversa, guitarra, piano, percussão, saxofone, teclado, trompete, trombone de vara, violon celo, violino e violão. "O próximo passo será a inclusão de cursos de artes cênicas além de danças populares e contemporâneas, disciplinas que já estão sendo procuradas pelos alunos", afirma o deputado Izaías Régis, administrador do Centro.