Garanhuns, 28 de agosto de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura / Diversão
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO DOS BICHOS

Bruno Neves Wanderley


Afinal de contas porque, quando e com quem devemos vacinar nossos cães e gatos ?

Desmistificando a vacinação de cães e gatos

A vacinação de cães e gatos deverá ser iniciada entre a 6° e 8° semana de vida nos filhotes, e anualmente nos adultos com exceção para a leptospirose que deverá ser administrada semestralmente.

Se você não sabia os gatos também devem ser vacinados assim como os cães com uma vacina espécie específica polivalente ou não, a partir daí a vacina a ser utilizada e seus intervalos dependerá das particularidades de cada indivíduo (estado de saúde, espécie, raça, sexo, domicílio em que será criado entre outros) e do protocolo preventivo utilizado por cada médico veterinário, exceto para a vacina anti-rábica, que só poderá ser administrada após os 4 meses de vida, salvo casos de viagens para o exterior e campanhas de vacinação publica realizadas pela prefeitura, onde os animais podem ser vacinados antes de atingir esta idade.

É importante sabermos que a vacinação de cães e gatos, diferente de outras espécies criadas em rebanho, não resumi-se ao simples ato de aplicarmos o produto vacinal no indivíduo.

Para ser realmente eficiente e diminuirmos os casos de falha vacinal, não podemos esquecer que a qualidade e a atualização das cepas vacinais do produto está diretamente relacionada com sua eficiência, por exemplo: hoje em nosso mercado só existe uma vacina utilizando a "CEPA VIRAL CPV2b", atualmente o maior causador de uma enfermidade que muitos já ouviram falar a PARVOVIROSE, ou seja 80% dos casos de parvovirose, enfermidade esta que causa uma severa gastroenterite hemorrágica em filhotes são causados por este vírus, mais apenas uma vacina que contém este vírus está disponibilizada exclusivamente para Veterinários hoje no mercado brasileiro e mundial.

Além destas particularidades a vacina para ser realmente eficiente deverá manter-se bem conservada em temperatura constante de 5° a 8°C, ao abrigo da luz solar e deverá ser aplicada dentro do prazo de validade, devemos ainda ter a certeza que o animal está apto para tanto, e independente de onde você irá vacinar seu mascote, exija sempre que seja realizado por profissional habilitado um atendimento clínico mínimo obrigatório antes da vacinação, em que se observe, a atitude, a disposição, a postura, os possíveis defeitos congênitos e herança genética do filhote, onde seja aferida a temperatura corporal, examinada as mucosas, pele e pêlo para identificação de possíveis anemias ou desidratações muito comuns em filhotes, devem ser observados ainda a presença de parasitas internos e externos tais como vermes, pulgas, carrapatos entre outros e até mesmo deficiências alimentares, estes são apenas alguns fatores que impossibilitarão temporariamente a vacinação de seu cão ou gato.
Como podemos ver, vacinar cães e gatos envolve diversos fatores que muitas vezes passam despercebidos pelos proprietários mais que são levados em consideração por bons profissionais, preocupados não em vender um produto mais sim em prestar-lhe um bom serviço, além disso no ato da vacinação o proprietário principalmente o iniciante poderá tirar diversas dúvidas sobre como melhor educar seu mascote, poderá acompanhar o ganho de peso e estabelecer junto ao veterinário qual o regime alimentar mais adequado para o animal em questão, além de ter uma melhor orientação quanto ao ato de prevenir as zoonoses (enfermidades transmitidas dos animais para os humanos).

Ainda hoje talvez por "economia" ou "conveniência" algumas pessoas vacinam seus cães e gatos em LOJAS AGROPECUÁRIAS, como veterinário não vejo nenhum problema neste procedimento, desde que o mesmo seja realizado da forma correta por estes estabelecimentos.

Alguns simplesmente "vendem" estas vacinas ou muitas vezes disponibilizam para que estas sejam aplicadas em casa pelo próprio proprietário, este procedimento é permitido apenas para animais de produção, vacinados em rebanho (aves, bovinos, caprinos, ovinos, suíno e eqüinos) não sendo legal em se tratando de animais domésticos uma vez que poderá acarretar sérios problemas para a saúde publica ou até mesmo para sua família e seu próprio animal. Dentre eles podemos citar um dos mais freqüentes vistos por nós em nossa clínica que é o aparecimento de pacientes enfermos, mesmo tendo sido vacinados.

As lojas agropecuárias, TÊM OBRIGATORIAMENTE UM MÉDICO VETERINÁRIO COMO RESPONSÁVEL TÉCNICO (lei 5.517 de 23 de outubro de 1968), e as mesmas em se propondo na oferta deste serviço devem fornecer um certificado de vacinação completo em que conste: A Identificação do estabelecimento, o nome do laboratório fabricante da vacina, o lote e sua validade e o mais IMPORTANTE, deverá OBRIGA-TORIAMENTE conter o carimbo e a assinatura do vete-rinário, devendo ainda manter um cadastro dos animais vacinados.

Estes são os requisitos básicos exigidos por lei para a vacinação de animais de companhia para que o certificado de vacinação tenha efeito legal em casos por exemplo de viagens e acidentes causados por agressões a terceiros.

Projeto ADOCÃO!
Para quê comprar se você pode adotar!
Adote esta idéia você também

VOCÊ QUER TER UM CÃO OU GATO?
ENTÃO POR QUE NÃO ADOTAR?
VISITE-NOS OU CADASTRE-SE PELO TELEFONE (87) 3763.0777
Rua Napoleão Galvão, 21 - Centro - Garanhuns/PE Médico Veterinário CRMV 2516/PE