Garanhuns, 3 de julho de 2004
  Início
  Colunas
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura / Diversão
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO CULTURAL

Carlos Janduy


Garanhuns mostra força no FIG (confira as atrações locais)

Av. Santo Antônio (Palco Cultura Popular)

Dia 09 - Gonzaga de Garanhuns

Luiz Gonzaga de Lima nasceu no Sítio Sussuarana no dia 8 de agosto de 1943. Em 1972, escreveu seu primeiro cordel, intitulado "Lampião em Serrinha", que faz parte do CD comemorativo aos seus 30 anos de Literatura de Cordel, lançado em maio de 2002.
Sua ligação com o verso, a rima e as loas, começou em 1955, quando participava do Reisado das Crianças, no Sítio Tiririca.
Como bem disse Gerson Lima, "Gonzaga de Garanhuns é a mais pura expressão da nossa Cultura Popular. O verso de Gonzaga tem o fluxo simples dos cantadores da feira, mas é na perspicácia da poética que anda a capacidade de ser um brincante inveterado e resistente às afrontas a nossa cultura de raiz. Hoje o cordel de Gonzaga tem dado nó além fronteiras internacionais com exemplares de sua obra nos Museus do Novo México (Estados Unidos da América) e de Etimologia de Osaca (Japão). São mais de 185 títulos sob os mais variados temas".
Com Reisado Pernambucano, de sua autoria, participou do Festival de Música Regional Alô Pernambuco, classificando-se para fazer parte do CD, produzido pelo evento.
Gonzaga sempre esteve presente nos Festivais de Inverno, seja com o pastoril ou com seus cordéis, mesmo sem fazer parte da programação oficial. Este ano, seu reisado estará no Palco da Av. Santo Antônio, junto a tantas outras atrações, que também defendem e elevam a bandeira da Cultura Popular ao patamar que merece. Nessa apresentação, Gonzaga homenageará Mestre Salustiano.

Dia 13 - Muendas de Pernambuco

De uma brincadeira, num sítio da região de Garanhuns, em 1999, surgiu o Grupo "Muendas" do Côco. A princípio tomou como base o coco-de-roda, ritmo bastante popular na cultura do Nordeste. Após um longo trabalho de pesquisa nas múltiplas identidades culturais e funcionando como um laboratório sonoro, incorporou ao seu trabalho o baião, o maracatu, a ciranda, a poesia popular, etc, fazendo algumas fusões, ao mesmo tempo em que começou investir na parte visual do grupo e no aprimoramento cênico de suas apresentações.

Com a inclusão dos novos ritmos, o grupo mudou o nome para "Muendas" de Pernambuco, dando uma maior abertura para a assimilação e divulgação da cultura popular como um todo.

Nesses quase quatro anos de existência, o "Muendas" participou das duas últimas edições do FIG e também de outros importantes eventos como o I FOLCLORAJU, Aracaju-SE; Polo Cultural Macuca, Correntes-PE; Casa da Rabeca do Mestre Salustiano, Olinda-PE; Festival Universitário da UPE-PE; Projeto Quinta da Música, Sesc-PE; Castainho - Reduto Descendente do Quilombo dos Palmares, Garanhuns-PE; Semana Pré-Carnavalesca de Garanhuns; Congressos, entre tantos outros eventos.

Segundo Severo, produtor do grupo, o primeiro CD do "Muendas de Pernambuco" está bem encaminhado e provavelmente ainda este ano será lançado no mercado.

Dia 15 - Gaiteiros de Garanhuns

O grupo, formado por sete componentes, foi criado este ano por Gonzaga de Garanhuns, a partir da idéia dada por Mestre Salustiano. Segundo Gonzaga, é possível que a banda seja a primeira no Norte e Nordeste, no estilo. Gaiteiros de Garanhuns têm em seu repertório, composições próprias, do Rei do Baião e de outros grandes compositores.

Parque Ruber van der Linden
(Palco Instrumental)

Dia 09 - Audejan

Pernambucano da cidade de São João, no Agreste do Estado, André Audejan Silva é pesquisador de cultura popular, músico e poeta. Veterano de festivais, Audejan vem trilhando uma carreira paralela ao meio mídico, implantando projetos culturais nas escolas públicas, monitorando laboratórios culturais em sua cidade, projetando elementos de divulgação de cultura popular, etc. O projeto "Das Coisas da Terra", concerto e CD em pauta desde fevereiro deste ano, traz um mesclado de canções de sua autoria e de peças já consagradas da música de raiz brasileira e vem recebendo elogios da crítica musical, no que diz respeito à qualidade das harmonias e o cuidado com a estética e a arte apresentadas.
Para essa apresentação no XIV FIG, Audejan será assessorado pelos grandes músicos Aldecy Souza, Marcos Cabral e o grupo percussivo Sertão Caatingoso, do município de São João.

Dia 10 - Marcos Cabral

Há vinte anos o talentoso guitarrista Marcos Cabral vem atuando na música instrumental, como também na música popular. O músico já participou de várias edições do Festival de Inverno de Garanhuns e, em 2003, marcou presença na seletiva para o Cascavel Jazz Festival, realizado em Recife-PE. Em sua apresentação no XIV FIG, o repertório terá músicas de sua autoria e de outros grandes compositores, passando pelo Jazz contemporâneo, rock e a rica música nordestina.

Aldecy de Souza (teclados), João Souza (contrabaixo), e Bruno Fonseca (bateria), músicos de renome na cidade e na região, acompanham Marcos Cabral, nesse show imperdível.

Dia 12 - Sacrifice Blues Band

A Banda foi criada em 2002, com integrantes da nossa terra e região, todos amantes da música instrumental, com preferência ao Blues, essa música nascida ao longo das cidades do Mississipi, que ficam as suas margens, rio este que banhava as grandes plantações de algodão. Vindo da escravidão, do lamento e a da dor do negro escravo que sofria de uma saudade contundente (o banzo) e que trazia no peito o sentimento libertário, assim nasceu o Blues, que não significa azul e, sim, tristeza, e que foi a forma de expressar todo o sofrimento de um povo tolhido de seus direitos e de sua dignidade.

E foi essa música, uma das mais belas do mundo, que provocou essa reunião de amigos, denominada Sacrifice Blues Band. São, na verdade, músicos apaixonados pelo blues, mas que também já passearam por outros seguimentos musicais, como a MPB e o regional, tendo participado profissionalmente de vários outros eventos, como Festival de Rock da Macuca, Festival de Jazz do Interior e Natal dos Sonhos.
Segundo Kleber Fernandes (vocal e gaita), graças a bagagem musical dos componentes, não foi difícil formar a Sacrifice Blues Band, que vem se aprimorando a quase um ano e já está trabalhando em seu primeiro CD.
São também integrantes da banda, Roosevelt (guitarra solo), Orlito (guitarra base), Teixeira (bateria), Jailson (baixo) e Aldecy (teclado).

Dia 13 - Soul Blues

Em agosto de 2002, forma-se o quarteto de blues com o nome Salamandra Blues Band. Em suas primeiras apresentações cativas, o público era principalmente de amigos e pessoas que apreciam o bom e velho Blues. Aos poucos, seus componentes vão dando forma ao seu trabalho e aprofundando suas raízes bluseiras, que até então não haviam encontrado. Recebem um importante apoio, conseguindo num período de quatro meses se apresentarem em vários pontos da cidade; participam da 2ª edição do Garanhuns Moto Fest (2002) e a partir deste evento extrai um áudio ao vivo, no qual registra uma parte de seu trabalho.

Mas, um integrante deixa a banda, ficando o trio, que passa a se chamar Soul Blues. Em 2003, o grupo se apresenta na 4ª edição do Concerto da Macuca e no 1° Macuca Jazz Festival, além de alguns outros eventos fora da cidade.
Agora, com uma musicalidade mais coerente, a banda procura seu espaço na cena bluseira, reencontrando e conquistando diversos amigos por onde passa. Soul Blues gravou seu primeiro CD-Demo, produzido pelos seus próprios componentes.
O intuito maior dos talentosos e determinados rapazes é tocar o máximo possível, para que os palcos e o tempo dêem o aprimoramento desejado ao trabalho da banda, que segue em frente, tocando e divertindo as pessoas, que apreciam a boa música.

Cláudio Lins (voz e contra Baixo), Rivelino Mendes (guitarra e violão) e Rafael Mendes (bateria e percussão) estão bastante entusiasmados com a oportunidade de estarem na programação do Festival, principalmente porque vão tocar no Palco Instrumental, vitrine especial do FIG.

Parque Euclides Dourado

Palco Pop

Dia 10 - Eclipse Urbano

A Eclipse Urbano já esteve em outros Festivais de Inverno; participou de festivais de rock em Paulo Afonso-BA e outras cidades, em Pernambuco. A banda já tem uma longa estrada e mais uma vez promete realizar um grande show no FIG, com um repertório de grandes nomes do Rock e da Soul Music.

Para essa apresentação no Palco Pop, instalado no Parque Euclides Dourado, a vocalista Andréia Dória também será acompanhada por músicos da banda A Cor do Jazz, que certamente farão uma participação muito especial. (Marcos Cabral).

Dia 15 - Karla Cybele

Karla Cybele é mais um expressivo talento nascido em Garanhuns. A música invadiu sua vida aos 14 anos de idade. Foi componente do Grupo Kairós, Ministério El Shaddai, Banda Gênesis e Raiz Nordestina. É responsável pelos grupos musicais "Chama de Amor" e "Forte na Fé", ambos do Colégio Diocesano. Como atriz e cantora, atuou no Grupo Diocesano de Artes e Grupo Órion. Tem participação nos CDs de Poesia e Música, com vários artistas da Suíça Pernambucana. Fez Curso Prático de Canto Elyba Serra. Em outubro de 2003, lançou o seu primeiro CD, intitulado "O Porto".

Hoje, aos 26 anos, Karla encanta, com seu timbre de voz, aos ouvidos mais apurados, para o melhor da música brasileira, nas interpretações que dá, inclusive a composições de autores da nossa terra.

Essa é primeira vez que Karla Cybele vai se apresentar como cantora no FIG, pois atuando como atriz já esteve no Festival. A intérprete será acompanhada por músicos de vasta experiência e no seu novo show não faltará no repertório a boa música popular brasileira.

Palco Forró

Dia 12 - Forró Pesado

Forró Pesado existe há quatro anos e por onde passa deixa a marca do autêntico Forró Pé-de-Serra, sempre divulgando compositores regionais e nacionais.
A banda já participou de muitos eventos, dos quais podem ser destacados: o Festival de Inverno, a Garanheta, o São João de Caruaru e de tantas outras cidades da região, tendo, inclusive, dividido palco com nomes consagrados da boa música nordestina.
Com muita determinação, o grupo lançou o seu primeiro CD, intitulado "Forró Pesado é Assim".
No início, era o tradicional trio pé-de-serra (sanfona, zabumba e triângulo); atualmente a banda tem cinco componentes: Pedrinho (acordeon e vocal), o vocalista Dema (zabumba), Rubão (baixo e vocal), Ivaldo (Beju) (triângulo e vocal) e Clécio (efeitos).

Dia 13 - Rivaldo e Ailton

Rivaldo Belarmino é natural de Lagoa do Ouro-PE e está radicado em Garanhuns desde 1980. Já Ailton Cardoso, seu sobrinho, é de Bom Conselho-PE, também radicado na Suíça Pernambucana. A dupla nasceu na década de 80, época em que lançou seu primeiro disco. Separados durante vários anos, Rivaldo e Ailton continuaram atuando na música, formando dupla com outros parceiros e gravando discos. Com Zezinho de Garanhuns, Rivaldo formou a primeira dupla de forró do Brasil, denominada assim por Jacinto Silva, tendo gravado três discos. Após ter se separado de Zezinho, em 1996, com quem participou do III Festival de Inverno de Garanhuns, voltou a trabalhar com Ailton e no ano passado gravaram mais um disco juntos. Além de compositores e intérpretes, Rivaldo e Ailton também são comunicadores de rádio e atualmente apresentam o programa "Na Porteira da Fazenda", que vai ao ar pela Jornal de Garanhuns.

Para o Palco Forró do XIV FIG, a dupla apresentará um show com muito "pé-de-serra", não faltando, é claro, no repertório, faixas do CD lançado em 2003.

Palco Dança

Dia 13 - Mova-se (Grupo Cênico Calabouço)

O espetáculo Mova-se relata o cotidiano humano, abordando situações existentes em sua evolutiva urbanização.

A reação psicossomática social é vivenciada em toda sua plenitude, gerando conseqüências adversas ao tarjado sistema de comportamento social e sentimentos da humanidade, como amor, ódio, stress, depressão, entre várias outras reações...

Composto de um núcleo coreográfico denominado aos próprios temas abordados, sua montagem foi baseada aos sistematizados movimentos técnicos, conscientizados da exploração física una do seu elenco, utilizando técnicas existentes da dança contemporânea, para relatar através da plasticidade corporal os temas abordados, realizando um breve espetáculo de temas polêmicos, que proporciona ao público a possibilidade de identificação com algumas ou todas as situações vivenciadas em suas coreografias.

No elenco estão Diorges Albuquerque, Josimar Araújo e Saulo Wedson. (Grupo Cênico Calabouços / Gestos Cia. de Danças).

Dia 14 - Sonhos... "Loucos São Vocês"
(Cia. de Dança Pau-de-Arara)

"Como traduzir a trajetória de um gênio, senão sendo o mesmo? Como transfigurar para o concreto as várias dimensões do irreal (surreal)? Como "tornar-se" um gênio?...

É seguindo esse conjunto de interrogações que a Cia. de Dança Pau-de-Arara traz para o XIV Festival de Inverno de Garanhuns, através dos diferentes elementos cênicos, um fragmento do espetáculo Sonhos... "Loucos São Vocês", que comemora o centenário de nascimento do pintor surrealista Salvador Dali.

Dali chamava seus quadros de fotografias de sonhos pintados à mão, pois, se entregando ao sono profundo, ele teria as "loucas" visões de suas futuras pinturas , enquanto estava dormindo. E dentro de um de seus sonhos, damos a idéia das alucinações histéricas que o pintor as tivera dentro deles, para pintá-los quando acordasse, já que o pintor todos os dias reservava uma tela em branco ao lado de sua cama. Esses sonhos eram "um verdadeiro monstro", cuja morfologia e nostalgia eram apoiadas muletas, que também sugeriam a fragilidade desses sonhos. "Porque basta que um lábio encontre o seu apoio exato num canto de almofada para que o sono nos abrace com todas as suas forças..."

Criamos assim, um veículo para unir movimento, interpretação e expressão corporal, para uma perspectiva surrealista na arte desse artista que eternizou sua genialidade, sintetizando a proposta de surrealismo de modo único, revolucionário e fiel.

Esperamos que apreciem este mundo de possibilidades ilimitadas. (Cia. de Dança Pau-de-Arara).

As coreografias, com direção de Andréa Correia e Diorges Albuquerque, serão as seguintes: Como "tornar-se" um gênio? (Figueiras); Dormindo (Sonâmbulos); Fotografias de sonhos pintados à mão e O Sono (Sonhando o sono).

Teatro Luís Souto Dourado
(Centro Cultural)

Dia 11 - O Fantástico Mistério de Feiurinha
(Grupo Diocesano de Artes)

"Com realização do Grupo Diocesano de Artes, do Colégio Diocesano de Garanhuns - com 15 anos de atividades cênicas - e direção de Sandra Albino, o texto do carioca Pedro Bandeira mexe em temas universais como o amor, a rejeição, o medo, a alegria e o ciúme. Feiurinha é uma princesinha que desaparece de modo misterioso, o que assusta várias personagens dos contos clássicos infantis. Branca de Neve, Cinderela, Chapeuzinho Vermelho e Rapunzel, entre outras, resolvem então pedir ajuda ao Escritor, para encontrá-la. Repleta de ação, a peça traça um jogo constante entre fantasia e realidade, com referências aos contos de fadas e observações divertidas sobre o processo de criação de um escritor". (Leidson Ferraz - Assessoria de Imprensa da Fundarpe).

O Fantástico Mistério de Feiurinha arrebatou os seguintes prêmios na XI Mostra de Artes Cênicas de Garanhuns, categoria infantil: Melhor Direção, Melhor Atriz, Melhor Figurino, Melhor Maquiagem, Melhor Cenário e Melhor Espetáculo.

Dia 15 - Frei Molambo (Cínicos de Cênicas)

"...Frei Molambo nos leva a refletir sobre nossas origens e nossa atualidade.

...Em se tratando de monólogo, a responsabilidade aumenta. Tenho a sorte de ter sempre uma equipe competente e capacitada. Há ainda o privilégio de encenar uma das maiores dramaturgas do teatro nordestino: Lourdes Ramalho, que com tanto carinho nos cedeu seu texto para a nossa encenação". (Marcelo Francisco).

Frei Molambo obteve os seguintes prêmios na XI Mostra de Artes Cênicas de Garanhuns, categoria adulto: Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Sonoplastia, Melhor Figurino, Melhor Maquiagem, Melhor Cenário, Melhor Iluminação e Melhor Espetáculo.