Garanhuns, 19 de junho de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
OPINIÃO
 

Prefeito move nova ação contra Cacau

O perfil fiscalizador adotado na Câmara Municipal pelo vereador José Carlos dos Santos, o popular Cacau (PTB), vem aborrecendo o prefeito de Garanhuns, Silvino Duarte (PMDB). O prefeito, que em 2002 moveu ação contra o vereador petebista, novamente leva as divergências políticas com o parlamentar às barras dos tribunais.

Silvino moveu um novo processo contra Cacau, alegando ter sido agredido moralmente, quando em entrevista a rádio FM Sete Colinas, veiculada no programa Jornal da Sete/2ª Edição, o vereador disse que ao término do seu mandato, o atual Chefe do Executivo deixaria "uma peneira cheia de bronca", além de "muitos pepinos", para o próximo prefeito. De acordo com os Autos do Processo, elaborado pelo Advogado Cláudio Rangel defensor da causa do prefeito , as expressões usadas pelo vereador são utilizadas popularmente para rotular as pessoas como desonestas, e classifica as declarações do parlamentar como injuriosas, caluniosas e difamatórias. Ainda de acordo com o documento, o prefeito pede uma indenização de 500 salários mínimos, valor estimado em cerca de 130 mil reais, que não compensaria os danos morais sofridos por Silvino, todavia, serviriam de lição para o parlamentar.

O vereador Cacau, que preside o Diretório Municipal do PTB legenda que se configura como principal oponente do grupo político liderado pelo prefeito, alega estar sendo perseguido, e diz que o real motivo da ação é a rejeição do projeto de abertura de Crédito Especial, votado na Câmara no último mês de maio. "Não tive a intenção de denegrir a imagem do prefeito Silvino Duarte. Porém, todos sabem que estou sendo perseguido pelo prefeito, que não se conforma em ter perdido a votação do projeto dos 25 milhões, que era ilegal, pois não tinha a fonte do dinheiro, e agora quer me processar", declara o parlamentar. Sobre o valor da indenização, Cacau diz que se perder a causa não terá como pagalá . "Se eu vier a perder o processo, não tenho como pagar os 130 mil reais de indenização! Esse é uma ação muito alta para um vereador que ganha dois mil e quinhentos reais por mês e ainda ajuda a população", registra o vereador que, para continuar seu trabalho legislativo, solicitou ajuda aos deputados Armando Monteiro e Izaías Régis, para que levem o caso a discussão na Câmara Federal e na Assembléia Legislativa do Estado. "Pedi ajuda aos deputados eleitos em Garanhuns para que promovam debates sobre esse assunto na Câmara e na Assembléia, porque estou me sentindo coagido por exercer o meu dever de legislador, e para que possa continuar desenvolvendo a minha função de fiscalizador do Governo Municipal", finaliza Cacau.