Garanhuns, 05 de junho de 2004
  Início
  Opinião
  Política
  Cidade
  Geral
  Especial
  Cultura
  Sociedade
  Ed. Anteriores
  Expediente
 
COLUNAS
 

CORREIO CULTURAL

Carlos Janduy


XI Mostra de Artes Cênicas

Amanhã encerra-se a XI Mostra de Artes Cênicas de Garanhuns, evento que seleciona os espetáculos que farão parte da programação oficial do XIV Festival de Inverno em Garanhuns. São classificados três espetáculos, nas categorias Teatro Adulto, Teatro Infantil e Dança, sendo que para esta última, nenhum grupo se inscreveu. Provavelmente, apenas duas peças serão indicadas pela Mostra. O resultado, saberemos neste domingo à noite. Certamente, Garanhuns será, mais uma vez, bem representado no FIG.

Concorrem na Mostra os seguintes espetáculos: Teatro Ordinário, De Baixa Qualidade, Pequeno e Insignificante (Gambiarra Grupo Teatral); Frei Molambo (Grupo Cínicos de Cênicas); ...Que Muito Amou (Grupo Atitude); O Fantástico Mistério de Feiurinha (Grupo Diocesano de Artes); Juvenal e o Dragão (Troupe Amigos da Arte) e O Pequenino Grão de Areia (Tropa Teatral CMA).


Bons, Maus e Mornos

Eu costumo dizer que quem faz arte - verdadeira arte - fica mais próximo de Deus. É difícil imaginar que possa existir tanta pobreza de espírito em certos "artistas". E o danado é que vivemos num mundo em que a inversão de valores é prestigiada e alimentada por muitos. Por isso, muitas vezes, recai sobre as pessoas de bem, à vontade de deixar de remar contra a maré, porque, além do cansaço daqueles que realmente fazem sua parte e têm que esperar que algo aconteça, em termos de apoios significativos de quem pode e deve apoiar, ainda tem que conviver, em determinadas situações, com picuinhas, mau caratismo, falsidade e tudo mais de negativo e de podre que emanam de pessoas infelizes e que se permitem ser insignificantes, em relação à arte de viver e fazer valer a condição de ser humano, como obra de Divina.

Um religioso, de verdade, me disse um dia que Deus não se mete em nada do homem. Eu acho que ele está certo. Já pensou se Deus se metesse em guerras, futebol, corridas, loterias, festivais, etc? O que você acha que Ele faria com os maus, os bons e os mornos?

Alguém pode se perguntar: por que este colunista publicou este comentário? Sinceramente, acredito que foi para aliviar o desconfortável incômodo de assistir todos os anos um filme sem começo, meio e fim.

Para evitar que houve exagero na intenção de dizer o que pode estar explícito, devo sinalizar através do pensamento "quando falares, cuida para que tuas palavras sejam melhores do que o silêncio", que não deu tempo de evitar essa publicação, porque quando eu estiver convencido de que não vale à pena publicar certas coisas, será tarde demais e o jornal já estará nas suas mãos.


Um Mordomo (Quase) Perfeito

O Núcleo de Trabalhos em Cena apresentará, no próximo dia 13 (domingo), às 20 horas, a comédia Um Mordomo (Quase) Perfeito, com direção de Irapoã Ribeiro. No elenco estão, nada mais, nada menos, do que Cláudio Luciano, Daniela Teixeira, Eraldo Rodrigues, Irapoã Ribeiro e Suzana Torres. Precisa acrescentar algo mais?

Está aí uma boa oportunidade de sair de casa e se divertir a valer, com a prata de casa, ou melhor, os ouros de casa.